Share |

Dinheiro x tradição: Os novos ricos no futebol mundial


A cada fim de temporada, um grupo de novos ricos despeja dinheiro no futebol de um país e faz um time um milionário. Já foi assim na Inglaterra com Chelsea e Manchester City, na Rússia com Anzhi, na França com Paris Saint Germain e na Espanha com o Málaga. Neste fim de temporada, o novo rico é o Monaco, que já foi finalista da Liga dos Campeões da Europa.

E o que todos os times acima tem em comum? A falta de tradição. É impossível mandar em um clubes tradicionais como Milan, Barcelona, Real Madrid, Bayern de Munique ou Manchester United. O fanatismo dos torcedores e os milhões de olhos sob o negócio inviabilizam a compra do clube. Mas não é impossível comprar jogadores.

Astros como Tevez, Falcao García e Rooney não negam interesse em ganhar milhões de euros em clubes sem a menor tradição como PSG e Monaco. Jogar no Campeonato Francês empolga, dizem eles. Os franceses têm um dos torneios mais chatos do mundo. Mas jogar um torneio ganhando 600 ou 800 mil reais por semana não parece tão chato e amar a um escudo desconhecido parece mais fácil.

Rodrigo Stafford
Leia mais

Hulk: 'Jogar um Mundial é um presente, como ter um filho'


Entre os jogadores convocados por Luiz Felipe Scolari para a Copa das Confederações está um atleta com nome de heroi e que saiu de Campina Grande, na Paraíba, para São Petesburgo na trigésima transação mais cara da história do futebol mundial. Hulk, que fez apenas quatro partidas jogando no Brasil, sonha com a Copa do Mundo. Veja a entrevista publicada pelo Jornal O Dia no último dia 13 de maio.


O DIA: Em 2009, o técnico Dunga foi muito criticado pelos torcedores por ter convocado o desconhecido Hulk, que jogava em Portugal? De alguma forma isso te magoou?
HULK: É uma situação normal. Os brasileiros não são acostumados a ver os campeonatos europeus. O campeonato Português não passava sempre no Brasil. As críticas eram normais, mas superei sempre que tive na seleção. Saí muito cedo, com 18 anos, e ninguém me conhecia. Só tinha jogado duas vezes no Brasil (pelo Vitória) e fui para o Japão e, depois, Porto. Na Europa, consegui ocupar meu espaço.

Seu nome é quase certo na lista da Copa das Confederações que será divulgada nesta terça. Ainda existe aquele frio na barriga?
Fico nervoso sim. Quero estar na logo lista e poder comemorar com a família. Qualquer jogador quer estar na seleção brasileira. Tem muita gente boa.

Faltando um ano para o Mundial. Já dá para sonhar em jogar uma Copa do Mundo dentro do Brasil?
Esse é um sonho que eu tenho desde que cheguei a seleção brasileira. Acho que não aconteceu em 2010 por causa do castigo que tive e fiquei três meses sem jogar (foi expulso após uma confusão entre jogadores do Porto e Newcastle e pegou uma suspensão de três meses fora dos gramados). Estou sendo convocado e fazendo o que sei. Quero jogar o Mundial e ser campeão jogando no Brasil. É um presente que ganharia como ter um filho

A última partida da seleção brasileira foi contra o Chile no Mineirão e as vaias foram muito grandes depois de uma atuação ruim. Você teme que esse apoio se transforme em vaias em caso da Seleção não corresponder?
Honestamente, não vi o jogo contra o Chile porque era muito tarde aqui na Rússia. Era no meio da madrugada. Precisamos do torcedor ao nosso lado. Se eles estiverem conosco será uma pressão a mais para cima dos nossos adversários.

Existem muitas diferenças entre os estilos de Mano Menezes e Luiz Felipe Scolari no comando da seleção brasileira?
Não vejo muita diferença. O objetivo é o mesmo. Mas quem vê o Felipão vê o campeão do mundo, que ganhou tudo e com uma grande trajetória. Tenho certeza que ele vai conseguir fazer um grande trabalho tanto para o Mundial quanto para a Copa das Confederações.

É fundamental Neymar ir jogar na Europa?
A qualidade que o Neymar tem e a expectativa de ele ser o melhor do mundo devem fazer ele vir jogar na Europa. Mas é ele que decide com a família dele o que é melhor. Não sou eu que tem que dizer o que ele tem que fazer ou deixar de fazer. Não cabe a mim. Se ele realmente quiser sair, acho que é uma boa, mas se acha que o melhor é ficar no Brasil é uma boa também. Se você joga em um campeonato como o Inglês, Espanhol ou Italiano tem muita visibilidade. O Neymar fazendo o que faz na Espanha ou na Inglaterra certamente será o melhor jogador do mundo.

Quando você chegou ao Zenit alguns companheiros reclamaram do valor (cerca de R$ 100 milhões) gasto na sua transferência. Isso já foi superado?
Todo mundo sabe a repercussão que esse problema teve. Depois que meus companheiros me conheceram melhor foi tudo superado. Tanto por eles quanto pela torcida.

Muito se fala em racismo na Europa, especialmente no futebol russo. Já teve algum problema do tipo?
Ouvi falar muito de racismo antes de vir para cá. É uma situação desagradável, mas nunca vi isso. Nos jogos do Zenit, a torcida apoia o time o tempo inteiro. Empurra mesmo.

Sofreu muito com o inverno russo. Qual a temperatura mais baixa que pegou em campo?
Olha, jogando eu não sei, mas peguei muito frio. Em campo, teve uma vez que estava treinando e peguei -20, -22 graus. Não é fácil, mas o período que atuei no Japão ajudou a não sofrer tanto com o frio.

Você era pretendido por times como Manchester United, Milan, Internazionale, Chelsea, mas acabou indo para o Zenit. O que aconteceu?
Joguei quatro anos no Porto e todo o fim de temporada tinha isso que ia jogar na Inglaterra, Itália, mas não tinha acordo com o Porto ou comigo. O Zenit chegou e conversou. Conheci o clube quando joguei contra na Liga dos Campeões. Quando chegou a chance, conversei com a família e não me arrependo. Estou muito feliz aqui.

O Hulk vale R$ 100 milhões?
Olha, ninguém vai pagar um valor por uma pessoa, ou por um imóvel, se ele não tem valor. Fiz valer a pena no Porto, sempre jogando em alto nível e batendo recordes independentemente do valor pago.



Qual sua avaliação da sua primeira temporada no Zenit?
Acho que poderia ter ido melhor. Não conhecia os jogadores e eles não me conheciam. Agora a bola chega mais rapidamente e estou conseguindo fazer meus gols, assistências. Se eles me conhecessem antes, certamente os números seriam melhores.

Vai seguir na Rússia?
Sempre tem alguns comentários que vou sair, mas estou bem aqui no Zenit e tenho contrato longo. mas se tiver uma proposta que seja boa para o Zenit e me satisfazer não vejo porquê não. Mas estou feliz aqui

Da onde vem o apelido Hulk?
Meu apelido vem desde que eu tinha três anos. Eu ficava imitando o Hulk dizendo que tinha força e que era o incrível Hulk. Até que teve um dia que meu pai disse: "Tá bom, agora você o Hulk". E ficou

Quem te descobriu para o futebol?
Minha primeira viagem eu tinha 13 anos e disputava um campeonato na Paraíba lá no Amigão. Teve um empresário, o José de Egito, que me viu jogando e pediu ao meu pai que me deixasse viajar. Meu pai não queria deixar de jeito nenhum. Chorei muito até conseguir e, felizmente, deu tudo certo.

Sempre foi atacante?
Comecei como meia-esquerda e joguei até de lateral-esquerda no Vitória. Depois que troquei nunca mais saí do ataque.

Como foi sua infância?
Eu era uma criança de classe média baixa. Meus pais trabalhavam na feira e eu tinha o sonho de ser jogador de futebol. Sempre sonhei que seria jogador.
Se não fosse jogador de futebol, o que o Hulk seria?
Não sei. Não sei mesmo. Nunca passou pela minha cabeça. Nem de férias eu penso nisso (risos)

Qual o passatempo do Hulk?
Prefiro ficar em casa com a família e passear quando dá. Quando

vou a Paraíba de férias tento ver todos os familiares e amigos, mas é difícil. É muita gente.

Qual o seu clube de infância?
Meu pai sempre me levava para ver o jogo do Treze, mas tenho que parabenizar o Campinense pelo título do Nordeste. Além diso, sou pameirense. Vou ficar na torcida por uma grande Série B e que o time volte para a primeira divisão que é o seu lugar.

http://odia.ig.com.br/esporte/2013-05-14/hulk-jogar-um-mundial-e-um-presente-como-ter-um-filho.html

Leia mais

Os escolhidos de Felipão


Antes tarde do que nunca, vale comentar a lista do técnico Luiz Felipe Scolari para a Copa das Confederações. Discordo das críticas e concordo com a maior parte da lista com apenas algumas ressalvas. Convocaria Rafael (Manchester United) para a lateral-direita e Jean para o meio no lugar do Jadson. 

Quanto a polêmica Kaká e Ronaldinho vejo positivamente a opção de Felipão de não levar os dois. Admito que preferia ver Kaká na seleção, mas entendo um critério simples: ele não está bem no Real Madrid.

A grande ausência para mim é Ramires. A indisciplina nesse caso prejudica a Seleção, pois nenhum jogador convocado tem tanta facilidade em defender e atacar como o meia do Chelsea.

Goleiros: Julio César (QPR), Diego Cavalieri (Fluminense) e Jefferson (Botafogo).
Laterais: Daniel Alves (Barcelona), Marcelo (Real Madrid), Filipe Luis (Atlético de Madrid) e Jean (Fluminense)
Zagueiros: David Luiz (Chelsea), Thiago Silva (PSG), Dante (Bayern de Munique) e Réver (Atlético-MG).
Volantes: Fernando (Grêmio), Paulinho (Corinthians), Hernanes (Lazio) e Luiz Gustavo (Bayern de Munique).
Meias: Oscar (Chelsea), Jadson (São Paulo).
Atacantes: Bernard (Atlético-MG), Fred (Fluminense), Hulk (Zenit), Lucas (PSG), Neymar (Santos) e Leandro Damião (Internacional).
Leia mais

Ferguson e Beckham: Aposentadoria e inveja no mundo


O ser humano, de um modo geral, é saudosista e tem medo do novo. Eu tento ser diferente disso, mas muitas vezes me pego assim. E essa semana começou difícil e está terminando pior ainda neste sentido. Primeiro foi Alex Ferguson, agora David Beckham que deixarão o futebol na próxima temporada.

O técnico do Manchester United é um gênio. Aqueles números de 27 anos, 13 títulos ingleses todo mundo já sabe. A questão é sobre o que ele transformou o United. Uma potência única que de uma cidade industrial da Inglaterra passou a ter torcedores em cada canto do mundo.

A missão de David Moyes, seu substituto, é horrível. Ferguson será sempre uma sombra, ainda mais pelo fato dos dois serem escoceses. Mas se tivesse escolhido alguém como José Mourinho, por exemplo, a chance de a personalidade do português querer trocar o rumo do time inglês era grande. E a desse conflito dar errado maior ainda.O United apostou na continuidade e de alguém que terá supervisão e não plenos poderes como o treinador que deixa a equipe. Pode e deve funcionar.



Fazer piadas sobre David Beckham é fácil. "O futebol perde um belo jogador", entre outras. O inglês é mais que um bom jogador. É ótimo! Inteligente, bom passador e fera nas bolas paradas. Só que o algo mais que ele tem incomoda muita gente do esporte: Beckham é bonito. E isso dá muito dinheiro para ele. 

Seria algum crime ser bonito e ganhar dinheiro? Não, mas o futebol é hipócrita. A beleza e a riqueza de Beckham incomodam e fazem os feios e pobres que julgam o esporte menosprezarem o jogador que, queiram ou não, não falta treinos e é exemplo em campo.

São dois casos de inveja bem diferentes que se juntam nesta semana. No caso do treinador, a mentalidade de "isso não daria certo no meu time", no jogador "é só um rostinho bonito". Inverdades que a história apagará. Espero.

Rodrigo Stafford
Leia mais

A volta!


Um ano e meio. Esse foi o tempo que fiquei sem passar por aqui. Não que não tenha passado. Voltava, dava uma espiadinha. Estava com saudades. Mas ordens superiores me impediram de abastecer o blog que eu tanto gosto. Mas sem poderes que se dizem maiores, estamos de volta! 

Conto com vocês!

Rodrigo Stafford
Leia mais

Top 10 NBA - 9 de maio de 2013



As  melhores jogadas da semana na NBA!


Leia mais