Share |

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Málaga: A próxima força da Espanha


Joaquín, Sergio Sánchez, Cazorla, Diego Buonanotte, Ruud van Nistelrooy, Toulalan, Nacho Monreal, Joris Mathijsen, Isco e Edinho. Esses são os reforços do Málaga para a temporada 2011/12. Somados a Júlio Baptista e Demichellis, que chegaram na metade da última temporada e tiraram o time da zona de rebaixamento e terminaram em uma honrosa 11a posição, é uma equipe para lutar na parte de cima da tabela.

O responsável por isso tem nome. E nos grandes. O sheik Abdullah bin Nasser bin Abdullah Al Ahmed Al Thani, que investiu mais de 80 milhões de reais para comprar o clube. Além das contratações, o sheik mudou os patrocinadores do time. Um deles, a Nike, recebe dinheiro para estampar sua marca na camisa do clube, ao contrário da maioria dos times no mundo, que recebem verbas das grandes marcas esportivas. No comando do futebol, o ex-capitão da seleção espanhola Fernando Hierro é o dirigente. Nas quatro linhas quem dirige é o chileno Manuel Pellegrini, ex-treinador do Real Madrid.

A idéia é fazer do clube um novo Barcelona, mas pelos moldes está mais para Manchester City, onde o dono do time também gasta milhões na contratação de jogadores. Em um primeiro momento, a tarefa de Abdullah bin Nasser bin Abdullah Al Ahmed Al Thani não será das mais complexas. Se aproximar dos lugares cimeiros da tabela e conseguir vaga nas competições européias. Com o campeonato espanhol bipolarizado entre Barcelona e Real Madrid, não me surpreenderia ao ver o Málaga terminando na terceira, ou quarta, posição com direito a ida para a Liga dos Campeões. Ainda mais com Atlético de Madrid e Valencia longe de seus melhores dias.

No entanto, para chegar ao patamar de Real e Barça, anos passarão. Além de milhões de euros investidos em atletas e comissões técnicas, outras fortuna será gasta em estádio e infraestruturas para se chegar ao topo. Dinheiro, o sheik do Qatar tem. A única dúvida é se ele terá paciência de continuar investindo se os resultados não aparecerem rapidamente.

Rodrigo Stafford

0 comentários:

Postar um comentário