Share |

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Flamengo: Ronaldinho Gaucho é negócio. E dos bons


Acabou a novela. Ontem, o Flamengo anunciou a contratação de Ronaldinho Gaúcho. Prestes a completar  31 anos, ele é o carro-chefe do time da Gávea na temporada 2011, Um golaço da péssima diretoria rubro-negra. Patricia Amorim e seus diretores ficaram quietos e conseguiram o reforço sonhado pelos torcedores.

Sinceramente, sempre achei RG um malabarista. Mas não do lado bom da história. Tirando as temporadas que fez chover no Barcelona (2004 e 2005), o achava extremamente habilidoso e pouco efetivo.  Tem uma qualidade absurda, mas sempre pareceu mais preocupado em mostrar sua técnica do que arrumar uma maneira objetiva de jogar para fazer gols ou dar assistências.

Então estou dizendo que Ronaldinho não joga nada? Não. Ainda mais no futebol brasileiro em que Ronaldo com 100 kilos faz gols na hora que quer. Certamente ele vai se destacar porque seu nível é de jogador de futebol europeu. Mas repito: Ronaldinho não me enche os olhos. Além do que o risco de o dentuço estar mais interessado nas noites cariocas do que em jogar futebol é grande.

No quesito negócio foi ótimo para o Flamengo. Não sei quanto estão pagando para o Gaúcho, mas vale. O dinheiro que ele vai trazer para o Rubro-Negro é absurdo. Se a Batavo pagava 24 milhões na camisa do Fla no ano passado, quanto passa a valer agora? 50? Além disso, se bem explorado é um ótimo produto de marketing.

Por último, RG é ídolo. Quando trabalhei na Copa Nike (uma peneira promovida pela empresa), ele era, de longe o jogador mais idolatrado pelos aspirantes a jogadores. E o mesmo acontece entre os profissionais. Muita gente vai querer jogar no Flamengo por causa do Ronaldinho. Aconteceu isso no Corinthians com Ronaldo, e deve acontecer no time da Gávea. É só a diretoria aproveitar a onda.

Rodrigo Stafford

0 comentários:

Postar um comentário