Share |

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Ruim com Juan, pior sem ele


Após o papelão no Brasileirão 2010, quando para beliscar a última vaga que ainda resta para a Sul-Americana, o Flamengo dependeu que o Goiás perdesse, nos pênaltis, o título do torneio continental contra o Independiente, da Argentina - os goianos ganharam o primeiro jogo, no Serra Dourada, por 2 a 0, e perderam, na Argentina, por 3 a 1 -, é hora de começar a caça às bruxas na Gávea. Com contrato terminando no fim do ano, o lateral-esquerdo Juan deve ser o segundo a deixar o clube, já que Toró saiu antes do fim do nacional.

Desde que chegou ao Rubro-Negro, em 2006, Juan vive uma relação de amor e ódio com a Nação. Logo em seu primeiro ano de clube, fez o gol que deu o título da Copa do Brasil ao Fla. Tirou o clube de uma fila de 16 anos - o Urubu havia sido campeão do torneio em 1990 -, e ainda, de quebra, deu mais um vice ao rival Vasco. A história do jogador na Gávea seguiu com o tri-Carioca (2007, 2008 e 2009) e a conquista do Brasileirão do ano passado.

No entanto, nem tudo foi festa. Com atuações irregulares e, às vezes, até displicentes, o lateral-esquerdo tirou a paciência da torcida. No ano passado, por exemplo, antes mesmo de se ausentar por conta de uma cirurgia no joelho direito, a Nação já pedia a entrada de Everton em seu lugar. Mas com a saída do jogador para o Tigres (MEX), Juan voltou a não ter um reserva digno.

Este é o principal fator que tem que ser notado: quem herdará a camisa 6 de Juan? O "habilidoso" Rodrigo Alvim? O torcedor mais apaixonado pode até estar pensando: "isso é fácil, é só contratar outro". Mas na realidade não é bem assim. Na segunda-feira, a festa dos melhores do Brasileirão premiou o veterano do Corinthians Roberto Carlos, aos 37 anos, como o melhor lateral-esquerdo do país. Será que isso não diz nada? Diz muito! Significa que, infelizmente, o Brasil não tem, há muito tempo, renovação na posição.

Por que não, então, "mandar para a vala" Alvim e tentar descobrir algum jogador que possa, pelo menos, fazer frente a Juan? Se o problema do Fla está só na lateral esquerda - e não está - que o clube se desfaça primeiro do reserva. Esse sim, não devia nem sequer passar de ônibus pela frente da Gávea. Porque os rubro-negros podem se preparar, se já está ruim com Juan, vai ficar muito pior sem ele.
Em tempo, se Juan fosse o problema, times como Atlético-MG, São Paulo e Botafogo não teriam interesse no jogador.


Rafael Marques








0 comentários:

Postar um comentário