Share |

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Como desperdiçar um grande talento



Antonio Cassano é um dos grandes talentos do futebol italiano, mas faz questão de desperdiçar quase todas as chances que lhe aparecem. Seu nome surgiu pela primeira vez em 2001 devido a grande quantia paga pelo Roma para adquirir um jogador de apenas 19 anos. Para tirá-lo do Bari, o clube romano pagou o equivalente a 30 milhões de euros.


Jogou até 2005 pelo Roma, desfilando seu talento e suas confusões. Por conta de discussões contratuais, que duraram mais de uma temporada, foi vendido ao Real Madri por apenas 5 milhões de Euros. No Real, menos futebol, mais saídas noturnas e confusões. Discutiu publicamente com o técnico Capello, foi afastado do time, que não sentiu tanta falta, tendo em vista que a equipe contava com Figo, Ronaldo, Beckham, entre outros. Acabou emprestado e depois vendido para a Sampdoria.


No clube genovês, voltou a apresentar seu bom futebol. Diferentemente dos outros clubes, passou a ser o jogador principal do time e rendeu bem, principalmente depois da contratação do ótimo atacante Pazzini, com quem fez uma das melhores duplas de ataque do futebol italiano. Cassano apresentou grande melhora em seu comportamento. Isso até outubro de 2010, quando faltou a treinos e teve o contrato rescindido. Foi contratado pelo Milan e tornou-se um possível substituto de Ronaldinho.


Pela seleção italiana, fez bons jogos, mas por conta de seu temperamento, ficou de fora das Copas de 2006 e 2010. Aos 28 anos, voltou a ser convocado após a pífia campanha italiana na Copa da África do Sul.É uma pena. Cassano é um dos jogadores italianos mais talentosos dos últimos anos (ao meu ver, só Totti joga mais que ele), mas dia após dia desperdiça as oportunidades que lhe são dadas.


Renato Stafford

0 comentários:

Postar um comentário