Share |

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Futebol não é matemática


De uns anos pra cá, com o início dos pontos corridos, as tais chances matemáticas passaram a dominar o noticiário. A cada rodada do Brasileiro, mais contas e quem estava quase rebaixado, ganha sobrevida. Ou quem não tinha mais chances de título, se vê com enormes 3%. E até o fim do campeonato será assim.

E vai ficando mais chato. Números, porcentagem pra cá, 0,5 vitória pra lá, 0,75 ponto pra fugir da Segundona... O futebol em si perde espaço na discussão, quando basta o time que está na frente fazer o seu e pronto: vai ser campeão. Ao outro, resta secar o adversário e ganhar as suas partidas. Bem simples até.

A única graça nisso tudo é acontecer casos como o do Fluminense, com 98% de chances de ser rebaixado, mas que se salvou. Óbvio que a matemática não errou, afinal existiam 2%, logo era possível. Mas vale pela sensação de que o futebol venceu...

Tatiana Furtado

1 comentários:

Pedro Carvalho de Moraes Rego disse...

Matemática é fria, 2+2=4 sempre... futebol tem emoção, variáveis, momentos, erros... transformar o futebol em uma simples conta de matemática não deveria nem ser cogitado...

13 de novembro de 2010 10:39

Postar um comentário