Share |

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Vôlei: Tricampeão com justiça e mácula





Campeão e melhor time disparado, o Brasil não teve problemas para despachar Cuba por 3 a 0 (25/22, 25/14 e 25/22) e conquistar o tricampeonato mundial de vôlei masculino.

Vi e torci muito. Sou fã do trabalho de Bernardinho e da dedicação que este time sempre mostrou, seja nas partidas ou nos treinamentos. No entanto, por mais merecida que esta conquista tenta sido, e foi, uma mácula foi feita: o jogo contra a Bulgária.

Concordo que o regulamento era absurdo e que outros como Sérvia e Rússia entregaram o jogo também, mas nada justifica. Esporte em alto nível é feito para ganhar. Perder de propósito entra numa questão ética, que entra na velha máxima de quem quer ser campeão não pode escolher adversários.


Dentro de quadra, o Brasil é quase imbatível. Murilo recebe com maestria e tem uma velocidade no ataque absurda. Bruninho é o cerebro do time. Vissoto, um monstro nas horas decisivas. Mario Jr está longe de ser um Serginho e ainda assim é ótimo. Os meias Rodrigão e Lucão misturam técnica, velocidade e agilidade. Isso que a lenda Giba nem entrou em quadra.

Um time verdadeiramente campeão, mas que teve uma pequena mancha desta vez. Mas de qualquer forma, parabéns Brasil!

Rodrigo Stafford

0 comentários:

Postar um comentário