Share |

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Futebol Internacional: Ressaca Pós-Vuvuzela




Três meses após o fim da Copa do Mundo, as seleções que participaram do torneio na África do Sul ainda vivem a ressaca dos devastadores efeitos causados pelo som das vuvuzelas. Nada muito espetacular, tudo muito protocolar: assim têm sido os últimos encontros entre selecionados pelo mundo.

No velho continente, há apenas duas exceções a essa regra nas eliminatórias da Euro 2012, na medida em que Montenegro e Noruega surpreendem grandes forças europeias e lideram os grupos G e H, respectivamente.

Os montenegrinos lideram a chave que tem como principal força a Inglaterra, traumatizada por não se classificar à Euro 2008. A liderança é fruto de um empate sem gols na partida disputada em Wembley nesta terça-feira, resultado frustrante para os anfitriões e muito comemorado pelos visitantes, que atuaram desfalcado de Vucinic, jogador do Roma e sua maior estrela. Ainda assim, parece ser questão de tempo a troca de posições na tabela de classificação, bastando ao English Team vencer a Suíça, em casa, para retomar as rédeas do grupo.



Os noruegueses, por sua vez, parecem querer dar o ar de sua graça pela primeira vez em muitos anos. Desde a Copa do Mundo de 1998, na qual chegou a derrotar o Brasil, a Noruega vinha desaparecendo silenciosamente do cenário futebolístico mundial; agora, porém, o retrospecto é animador, com 3 vitórias em 3 jogos. Além disso, a Noruega se aproveita da irregularidade da seleção portuguesa, que não consegue traduzir em domínio o seu favoritismo inicial, ocupando a segunda colocação mesmo tendo disputado uma partida a mais. A situação do time liderado por Cristiano Ronaldo já é desconfortável e pode piorar caso não vença os noruegueses em seu próximo compromisso. Além da atual líder, outra séria ameaça é a terceira colocada Dinamarca, cujo histórico revela a capacidade de surpreender a Europa.

CURTINHAS

Absurdo: inaceitável o comportamento da torcida sérvia em Gênova. A seleção do país deve ser punida exemplarmente com a exclusão da Euro 2012 e até mesmo de competições futuras.

De vento em popa: mantendo o ritmo da Copa, Espanha, Holanda e Alemanha vão muito bem, sem sobressaltos.

Que voltem logo: começa muito bem o trabalho de Mano Menezes, porém os dois amistosos recentes indicam que não dá mais pra falar em seleção brasileira sem Neymar e, principalmente, Ganso.
Pedro Mendonça é o colunista de Futebol Internacional do Futeblogeando

1 comentários:

Renato disse...

A velha ordem voltará em breve. Até a França ta ganhando...
Qto a Sérvia, uma punição severa se faz necessária. Aliás, quem tb merece suspensão é o Vucinic. Que comemoração esdrúxula. Lamentável...

15 de outubro de 2010 13:41

Postar um comentário