Share |

Palmas para Neymar



Sou um dos caras que mais critica o comportamento de Neymar. Para mim, trata-se de uma criança mimada, iludida com os milhões e talento que tem. Me irrita que o jogador do Santos seja apontado como craque, sem ter feito nada para comprovar isso. No entanto, desta vez Neymar fez a coisa certa.

Após o treinamento do Santos, os jogadores resolveram dar uma ovada em Zé Eduardo por conta de seu aniversário, mas alguns passaram do ponto na brincadeira e começaram a dar socos e pontapés no jogador. Neymar pediu calma aos colegas. Logo depois, um imbecil chamado Marcel (que não joga nada), desandou a dar boladas (chutes bem fortes) em quem estava no meio da rodinha. O atacante santista falou com ele algumas vezes e Marcel partiu para cima.

É verdade que todo mundo exclamou: "Olha o Neymar metido em confusão novamente!". Mas desta vez, ele foi socorrer um companheiro contra um bando de idiotas.
Rodrigo Stafford
Leia mais

Kleber, violento ou perseguido?


Particularmente sempre gostei de Kleber. Atacante moderno, sabe girar, fazer vezes de centroavante, mas rende mesmo como segundo avançado. Além disto, tem uma raça impressionante, que, às vezes, é confundida com violência pelo próprio Kleber.
Não foram poucas as oportunidades que ele foi expulso por cotoveladas, braços na cara e outros. O Gladiador gosta deste tipo de jogo de contacto, mas não tem frieza suficiente para fazê-lo. Ele reclama de perseguição da imprensa e que os árbitros o perseguem, mas as recorrentes expulsões provam que Kleber está mais para violento do que para perseguido.
Gosto de analisar o custo-benefício dos jogadores e mesmo com as expulsões e suspensões acha que Kleber vale muito a pena para o Palmeiras. Dentro de campo, ele sua sangue e faz com que a galera perdoa alguns deslizes.

Rodrigo Stafford



Leia mais

Seleção convocada para encarar a Argentina




O técnico Mano Menezes convocou a seleção para a partida contra a Argentina. Destaque para a convocação de Douglas e a volta de Ronaldinho Gaúcho. As ausências mais sentidas são as de Hernanes, Maicon e Julio César. Apenas quatro jogadores (Daniel Alves, Thiago Silva, Ramires e Robinho) convocados estavam na Copa do Mundo da África do Sul. E sete (Victor, André Santos, Réver, Lucas, Jucilei, Elias e Douglas) já trabalharam com o treinador em clubes.

Goleiros:
Victor (Grêmio) - Vive grande fase no gol do Grêmio, mas deve ser reserva quando Julio César voltar.
Jefferson (Botafogo) - É bom goleiro, mas acredito que Fábio, do Cruzeiro, mereceria uma chance em seu lugar.
Neto (Atlético-PR) - Foi convocado para pegar experiência para a sub-23. Vai apenas assistir ao jogão.

Laterais:
Daniel Alves (Barcelona) - Convocação incontestável. Disputa com Maicon (Internazionale) a condição de titular.
Rafael (Manchester United) - Uma boa aposta para a sub-23
Adriano Corrêa (Barcelona) - Não gosto. Está sendo convocado por ter "quebrado o galho" de Mano no periodo de treinamentos. Marcelo (Real Madrid) está jogando muito mais que ele.
André Santos (Fenerbahçe) - Escolha pessoal de Mano. Achamos um lateral muito farco para vestir a camisa verde e amarela

Zagueiros:
Thiago Silva (Milan) - Ótimo zagueiro.
David Luiz (Benfica) - Ótimo zagueiro
Alex Costa (Chelsea) - Grande zagueiro, mas há tempos não defende a seleção por suas constantes contusões antes dos jogos do Brasil. Será que vai desta vez?
Réver (Atlético-MG) - Melhorou muito no Atlético-MG, mas não merece. Se seleção é momento, ele não merece. Prefiriria Alex Silva (São Paulo) ou Breno (Bayern) para a sub-23

Volantes:
Lucas (Liverpool) - Seu time não vai nada bem no campeonato, mas tem a confiança do técnico
Ramires (Chelsea) - Chegou no futebol inglês e não se intimidou. Está jogando muito bem e tem vaga no time titular de Mano
Sandro (Tottenham) -Bom jogador, sempre presente na lista de Mano até pela idade
Jucilei (Corinthians) - Destaque constante no Corinthians, merece mais chances pra que Mano tenha certeza de que é jogador de seleção (Tatiana)
Não vive boa fase no Corinthians e é um absurdo ele ser chamado e Hernanes (Lazio) não. (Rodrigo)


Meias:
Douglas (Grêmio) - Um dos melhores do Brasileiro, pode suprir a falta do meia armador que o técnico ainda busca (Tatiana) . Lento, velho para a seleção e sem raça. Vive boa fase no Grêmio, mas é pouco para a seleção. Bruno César (Corinthians) merece bem mais. (Rodrigo)
Philippe Coutinho (Inter de Milão) - Chegou a Milão e ganhou a posição de cara. O mesmo fará na seleção (Tatiana). Uma ótima aposta que vem dando certo. Sua chegada, com personalidade, em Milão lembra Kaká. (Rodrigo)
Ronaldinho Gaúcho (Milan) - Ex-jogador de seleção em atividade. É muito acima da média e quando quer jogar, joga e se destaca. Mas não dá continuidade a isso numa temporada inteira. Sua convocação é pra dar peso à seleção contra a Argentina. Afinal, é ídolo mundial
Elias (Corinthians) - Outro bom jogador do Corinhtians, mas que ainda precisa provar mais pra jogar na seleção

Atacantes:
Robinho (Milan) - Começa a engrenar no Milan. Não é o jogador dos meus sonhos, mas rende bem na seleção.
Alexandre Pato (Milan) - Grande atacante. Tem velocidade, inteligência e faro de gol.
André (Dínamo de Kiev) - Não é jogador para a seleção brasileira. Nem perto disto.
Neymar (Santos) - Futuro craque. Inteligente, rápido e habilidoso tem que baixar a bola para não virar um novo Robinho.
Leia mais

Conca joga para a galera





Sou absolutamente contra a renovação de salário do meia Conca. Acho um absurdo ele se fazer de vitima, dizer que está difícil. Ele tem contrato até dezembro de 2011, tem é que cumprir o que assinou com o Fluminense e não ficar mendigando aumento fora de hora.

É verdade que o Tricolor adora fazer estas papagaiadas. Renovou o contrato de Fred, que terminava em 2012 (e ganhava 450 mil) para até 2014 (ganhando 750 mil). Outro absurdo.

Concordo que Conca é o grande craque do time e ganha bem menos que as estrelas que quase não jogam (Fred, Deco e Emerson). ele tem carregado o tricolor nas costas e na minha opinião é o melhor jogador do Brasileirão.

Outra coisa que não me conforma são os torcedores no treino. Será que eles não tem nada para fazer em uma tarde de dia de semana? Os caras vão até as Laranjeiras abrem uma faixa, gritam o nome dos jogadores. Poderiam também xingar, estar armados... Lugar de treino é para jogadores, comissão técnica e imprensa. Só isso.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Quem será o melhor do mundo?




A lista divulgada pela Fifa e a revista "France Football" com os candidatos a melhor do mundo traz algumas certezas: o eleito não é pule de dez e o Brasil não é mais o mesmo, por enquanto. Desta vez, apenas três concorrentes do país: Júlio César, Maicon e Daniel Alves. Nenhum atacante ou meia brasileiro, como de costume. Sempre foi com jogadores destas posições que o Brasil levou oito vezes a Bola de Ouro.

Dos 23 candidatos, a maioria vem da Espanha, atual campeã mundial, com sete. Nada mais justo pra uma seleção equilibrada, sem uma única grande estrela a despontar. São eles: Xabi Alonso, Iker Casillas, Cesc Fábregas, Andrés Iniesta, Carles Puyol, David Villa e Xavi.

Em seguida, vem a Alemanha, com cinco. Merecido pelo futebol rápido, forte e cheio de talento dos jovens (Thomas Müller, Mesut Özil e Bastian Schweinsteiger) e experiência (Miroslav Klose e Philipp Lahm).

Da vice-campeã, apenas dois: Robben e Sneijder. Sempre decisivos em seus clubes e na seleção. O atual melhor do mundo Lionel Messi ainda corre por fora.

Difícil apontar o franco favorito em ano de Copa do Mundo, na qual muitos favoritos ficaram pelo caminho. Sem esquecer que o melhor do Mundial foi o uruguaio Forlán, quarto lugar. E Iniesta decidiu o título a favor da Espanha

Mas acredito que o peso da Copa não seja decisivo e a bola fique com Sneijder. O holândes ganhou tudo no Inter de Milão e ainda pode ganhar mais no Mundial de Clubes.

Os demais candidatos: Cristiano Ronaldo (Portugal), Didier Drogba (Costa do Marfim), Samuel Eto'o (Camarões) e Asamoah Gyan (Gana).

Isso tudo no masculino. No feminino, a brasileira Marta tenta o quinto troféu e continua sendo sempre favorita.

Tatiana Furtado
Leia mais

Resumão do Italiano




Fazer prognósticos com oito rodadas de um campeonato é quase um exercício de adivinhação. Mas, como na Europa o equilíbrio é diferente, até dá pra se ter uma ideia do que vem nas próximas 30. O Italiano não é diferente.

Desde o início dá pra apostar no supercampeão Inter de Milão, que venceu as últimas três edições, e, atualmente, está em terceiro com 15 pontos. Conta com o time campeão de tudo com Mourinho, mas sem o técnico.

O rival Milan também começou bem com seu quarteto fantástico (Ibra, Ronaldinho Gaúcho, Pato e Robinho), que ainda não tem sido um quarteto, nem tão fantástico. Mas vem dando pro gasto até o momento. Está em segundo com 17 pontos.

Não podem faltar as surpresas, é claro. No momento, elas ocupam o primeiro e o quarto lugares e estariam na Liga ou na pré-Liga dos Campeões. No topo, o Lazio, com 19 pontos, tem feito bonito, com destaque para Hernanes, ex-São Paulo, que encaixou bem na equipe. A outra vaga é mais surpreendente: o Chievo, com 13. Como o Juventus vem logo atrás (12), a equipe de Verona não deve passar de cavalo paraguaio.

Quem precisa abrir o olho, mesmo tão cedo, é o Roma. Em crise geral, está na 14ª posição, com nove pontos, no limbo.

Confira a classificação: http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/italiano/2011/classificacao.jhtm


Tatiana Furtado
Leia mais

Placar chutômetro

Tatiana

Flamengo 1x0 Corinthians (0)
São Paulo 1x1 Atlético-PR (0)
Atlético-GO 2x0 Ceará (0)
Fluminense 1x3 Grêmio (0)
Vitória 2x1 Vasco (5)
Inter 2x1 Santos (0)
Palmeiras 1x0 Goiás (5)
Prudente 1x2 Cruzeiro (5)
Avaí 2x0 Guarani (5)
Atlético-MG 3x2 Botafogo (0)

Rodrigo

Flamengo 1 x 1 Corinthians (10)
São Paulo 2 x 0 Atlético-PR (5)
Atlético-GO 3 x 1 Ceará (0)
Fluminense 1 x 1 Grêmio (0)
Vitória 2 x 0 Vasco (5)
Inter 1 x 1 Santos (10)
Palmeiras 1 x 1 Goiás (0)
Prudente 1 x 2 Cruzeiro (5)
Avaí 2 x 0 Guarani (5)
Atlético-MG 2 x 1 Botafogo (0)

Depois da rodada: Rodrigo 316 x 319 Tatiana
Leia mais

Lucio Flavio, a doença botafoguense


São mais de 200 jogos com a camisa do Botafogo e o resultado disto são anos de inércia com a camisa 10 de um dos clubes mais importantes do país. Lucio Flavio não tem bola para jogar no Alvinegro. Nunca teve. É jogador para a Série B. Um grande chupa-sangue que contagia seus companheiros, da pior forma possível, além de ser um paneleiro de marca maior.

E por que ele ainda joga no Glorioso? Por muito tempo, o Botafogo não teve quem colocar ali. Agora, ele voltou com a contusão de Maicosuel. No ano passado, ele foi despachado para o Santos, onde não durou seis meses e voltou ao Rio de Janeiro.

Dentro de campo, Lucio Flavio é como uma doença que se alastra por todo o time botafoguense. Ele é muito lento, seu passe é curto e sem brilhantismo. Atualmente se resume a cruzar bolas na área a procura de Loco Abreu. Diferentemente de jogadores como Petkovic e Deco, que também não têm velocidade, mas fazem o time ser velozcom passes e inteligência, Lucio Flavio atrapalha os times que joga. Para não dizer que ele não faz nada bem, é ium bom cobrador de faltas.

Vaiar o jogador não vai melhorar o seu rendimento. Mas as vaias da torcida alvinegra são para que Joel Santana arrume uma solução para que o atual camisa 10 não entre em campo, seja com Jobson ou até Caio em seu lugar.

E pensar que ele foi comparado com Alex, hoje no Fenerbahçe...

Rodrigo Stafford



Leia mais

Alguém quer ser campeão?



A sete rodadas do fim e a certeza, ou incerteza, continua: ninguém quer ser campeão brasileiro. Rodada após rodada, quem está na frente tropeça e entrega de bandeja a liderança pro outro. Fluminense, Cruzeiro e Corinthians se revezam na briga de gato e rato às avessas.


Parece uma batata quente nas mãos do time, o outro tenta pegar, fica um pouco e larga de novo. Ao contrário do ano passado, nem há uma equipe vindo atrás numa arrancada. O Grêmio poderia ser esse time, mas foi chegar perto da zona da Libertadores que também começou a tropeçar.


Prognósticos ficam mais difíceis do que ano passado. Nem adianta pegar a lista dos últimos jogos e achar quem tem o caminho mais fácil. Vide o Santos perdendo em casa para o Prudente, lanterna do campeonato. O Cruzeiro enfrenta o virtual rebaixado na próxima rodada; o Fluminense, o Grêmio. Quem tem coragem de apostar alguma coisa?


Já que não se pode ter certeza de nada, fica a superstição. Com 21 pontos em jogo, o máximo que o primeiro lugar pode chegar - hoje o tricolor pelo saldo de gols - é a 75. Mesmo número do São Paulo, em 2008, no ano do tricampeonato, dirigido também por Muricy Ramalho.

A queda na pontução dos campeões desde o início dos pontos corridos.

2003 - 75 em quarto - Cruzeiro com 100

2004- 75 em quinto - Santos 89

2005 - 75 em terceiro - Corinthians 81

2006 - 75 campeão - São Paulo 78

2007 - 75 campeão - São Paulo 77

2008 - 75 campeão - São Paulo 75

2009 - 75 campeão - Flamengo 67


Tatiana Furtado
Leia mais

Uma bagunça chamada Roma





Imagine um time escalado assim: Lobont; Cicinho, Mexés, Juan e Riise; Fabio Simplicio, De Rossi e Pizarro; Totti, Adriano e Vucinic. Bom time, não é? Uma defesa sólida, um meio combativo e um ataque fortíssimo. Este poderia ser o time do Roma, se o técnico Claudio Ranieri quisesse. Mas com suas mil invenções, ele não escala assim e o resultado é a décima-terceira colocação no Italiano. Na Liga dos Campeões, os resultados são ainda piores. Depois de perder do Basel, em casa, o time é o lanterna em um grupo com Bayern de Munique, Basel e Cluj.

A crise está instalada na capital italiana e uma resultado ruim contra o Parma, no Enio Tardini, pode derrubar Ranieri. A imprensa do país já fala que Leonardo pode ser o substituto. Se isso for confirmado, é um ótimo nome, que pode agregar o time e deixar as panelas de fora.



Totti, por exemplo, é um Deus em Roma, mas não desfruta deste status para o bem. E apesar de jogar pouco, cria muitos problemas para o grupo e para o comando. Adriano, que foi para Roma para provar que não é um ex-jogador em atividade, continua fora de forma, assim como aconteceu no Flamengo. Mas o nível na Itália é diferente e ele não tem jogado, sendo substituído pelo limitado Borriello.

Acredito que Leonardo dê um jeito no bagunçado Roma, mas a primeira providência é demitir Ranieri.

EM TEMPO
Leonardo negou que vá assumir o Roma. Disse que suas ligações com o Milan ainda são muito fortes. Que venha outro para dar jeito.
Rodrigo Stafford
Leia mais

Vitória pela metade


De G-4 pra G-3, de volta ao G-4 podendo ser G-3. A nova decisão da Conmebol, que mudou a regra no meio da temporada (pelo menos no Brasil), foi uma vitória pela metade da CBF. No fim das contas, o Brasil acabou perdendo a possibilidade de concorrer a mais uma vaga na Libertadores. Se o regulamento fosse mantido, com as quatro vagas no Brasileiro, e a Copa Sul-Americana classificasse o campeão independentemente do país vitorioso, o Brasil poderia ter até sete representantes ano que vem.

Mas, apesar de ser o futebol brasileiro pentacampeão mundial, a Conmebol por rixas políticas e outros interesses prefere ignorar o fato e privilegiar outros países, como o México, por exemplo. E, assim, o país que vai sediar a próxima Copa do Mundo mostra que não tem tanta força assim no quintal de casa.

Agora, além da vaga do campeão Inter e o Santos, vencedor da Copa do Brasil, o país terá mais quatro certas. Ou os quatro primeiros do Brasileirão ou os três, caso o campeão da Sul-Americana for Palmeiras, Goiás, Atlético-MG ou Avaí. A meia vitória se deu porque, até semana passada, teríamos apenas cinco vagas certas, que chegaria a seis em caso de vitória brasileira na Sul-Americana.
Tatiana furtado
Leia mais

Placar chutômetro

Tatiana

Cortinthians 2x1 Palmeiras (5)
Goiás 1x0 Avaí (10)
Ceará 1x 3São Paulo (0)
Atlético-PR 2x2 Fluminense (10)
Cruzeiro 3x2 Atlético-MG (0)
Santos 3x0 Prudente (0)
Grêmio 3x1 Inter (0)
Flamengo 2x1 Vasco (0)

Rodrigo

Cortinthians 1 x 0 Palmeiras (10)
Goiás 2 x 1 Avaí (5)
Ceará 1 x 2 São Paulo (0)
Atlético-PR 1 x 0 Fluminense (0)
Cruzeiro 1 x 1 Atlético-MG (0)
Santos 3 x 0 Prudente (0)
Grêmio 2 x 1 Inter (0)
Flamengo 2 x 1 Vasco (0)

Rodrigo 276 x 299 Tatiana
Leia mais

Renato Gaúcho x Fabio Junior








Conversando com amigos em uma mesa de bar surgiu uma embaraçosa questão. Quem foi melhor com as mulheres em termos de quantidade: Renato Gaúcho ou Fabio Junior?

Os dois são conhecidos por suas conquistas amorosas. Fabio Junior tem vários casamentos no currículo e um incontável número de namoradas. Já Renato, era o rei de fugir de concentração e não podia ver uma saia.

Pedi a uma grande amiga, que é reporter, que fizesse esta pergunta ao jogador. A resposta fala por si mesma.

"hahahahahhaha. Quem pegou mais? hahahahah. Esquece isso. Tento me livrar desta fama, mas não tem jeito. Mas você tem namorado?"

Meu voto iria para Fabio Junior, pela idade e por não ter concentração, mas confesso que mudei depois das declarações de Renato.
E você acha que quem pegou mais gente?

A T U A L I Z A Ç Ã O

Renato Gaúcho após o treino de hoje.

"Um dia conversei com o Pelé. Uma brincadeira, nem deveria contar. Mas vou contar. Pelé disse para mim que fez mil gols. E eu respondi que cada gol dele equivalia a uma mulher minha. E ele parou nesses 1,2 mil, hein" disse Renato.

Que falta faz jogadores que falam de verdade e têm humor.
Leia mais

Na Inglaterra, domínio de City e Chelsea





Poucas surpresas no campeonato inglês. Tirando o Liverpool, que agoniza na zona de rebaixamento, e o novo rico Manchester City, os outros três (Arsenal, Manchester United e Chelsea) dominam o torneio desde que me entendo por gente.

O Chelsea domina o torneio com 19 pontos. Além de ser o número um da tabela, o time mostra um futebol bem jogado. Quem surpreende é o faraônico Manchester City, de Carlito Tevez, que é o vice-líder com 17 pontos. Um pouco atrás estão Arsenal e Manchester United, mas os Diabos Vermelhos jogam um futebol fraco e pouco eficiente. Além disto, devem perder o craque Wayne Rooney na janela de transferências de janeiro.

Na zona de classificação para a Liga Europa vem o bom time do Tottenham, que com um pouco de sorte galgará um lugar na Liga dos Campeões. Atrás duas grandes surpresas West Brown e Bolton. Duas equipes fracas, que vêm surpreendendo.

Na parte de baixo da tabela o Liverpool surpreende negativamente. Vice-lanterna do Inglês, o técnico Roy Hodgson balança no cargo em um time que tem Gerrard, Fernando Torres, Joe Cole, Raul Meirelles e Pepe Reina. Os "Reds" venceram uma partida em oito disputadas.
EM TEMPO
Rooney jogou fora tudo que disse nos últimos dias e renovou com o Manchester United até 2015.
Leia mais

Uma enganação chamada Caio






O atacante Caio deu uns bons dribles e fez alguns gols contra times pequenos do Rio no início do ano. Logo foi considerado promessa alvinegra. Não tem passado disso, na verdade. E dificilmente passará. É um bom jogador, e só. Não tem pinta de craque.

Sai do banco, a torcida vibra, dá uns dribles, cai mais do que fica em pé. Tenta cavar pênalti todo jogo e, por causa disso, vai pra casa com um cartão amarelo de graça. Levou um contra o Fluminense no domingo por esse motivo.

Leva puxão de orelhas do chefe que o apelidou de talismã - tudo bem que decidiu algumas partidas, marcou contra o Flamengo no Estadual e acabou ajudando no título. Mas deitou na fama muito rápido, já discutiu com torcedores e não aceitou bem as críticas.

Pediu desculpas, errou de novo, já foi barrado, novamente se desculpou. Tudo parte da juventude. Mas se aceitar o futebol que tem, sem achar que é mais do que isso, poderá ser um jogador eficiente. Como está, será mais uma promessa ou mais um engano.



Tatiana Furtado


Leia mais

A chance de Marcelo: será que ele quer?





Marcelo, lateral-esquerdo do Real Madrid, é sem dúvidas um dos melhores brasileiros na sua posição e se adaptou bem ao estilo de jogo espanhol. Mas, na seleção brasileira, não conquistou seu espaço. Nem com Dunga e, até o momento, nem com Mano Menezes, que o viu jogar na última terça-feira o clássico com o Milan. Pra isso, tem que querer e ele diz que quer.

Deve ser chamado pro amistoso com a Argentina em novembro. Justiça total a quem ficou longe dos últimos amistosos por problemas de contusão. É o momento de o lateral aparecer com a camisa da seleção, depois do bronze olímpico em 2008. Tem totais condições de ganhar a vaga e a confiança numa posição que mostrou estar carente na última Copa. Quem tem como rival André Santos, não deve se preocupar.

Aí, entra a vontade dele. Qual será o tamanho da motivação de um jogador que é titular num dos melhores times do mundo, rico, treinado por um dos técnicos mais famosos do mundo, em lutar por uma vaga na seleção brasileira. Idade pras Olímpiadas não tem mais. Seria só convocação em datas Fifa e aguardar a próxima competição, a Copa América em julho do ano que vem, no período de férias e/ou pré-temporada na Europa.

Há que se esperar pra ver a ambição dele.

Tatiana Furtado
Leia mais

Jobson: muito potencial e pouco cérebro






Quando Jobson foi contratado pelo Botafogo no final do ano passado, todos se perguntaram quem era o menino vindo da Coreia do Sul. Poucos sabiam do passado do jovem nascido no Pará, que havia despontado no Brasiliense. Se sobre o futebol dele quase ninguém tinha conhecimento, um fato chamou a atenção: o jogador havia chegado bêbado certa vez no treino do clube do Distrito Federal e brigado com alguns companheiros.

Questionado sobre isso, Jobson dissera que havia amadurecido fora do país e aprendido a lição. Agarrou a oportunidade no alvinegro, encantou a torcida logo no início, caiu de produção, mas voltou a ser decisivo nos últimos jogos do Brasileiro, como o gol que marcou contra o Palmeiras, que evitou o rebaixamento na última rodada. Mas naquele mesmo campeonato, viu-se que ele não estava tão maduro. Foi pego duas vezes no exame antidopping por cocaína e quase banido do futebol.

Acertadamente, a justiça o condenou por apenas seis meses e o garoto ganhou outra oportunidade no Botafogo. Querido pela torcida, voltou com apoio geral, mas sob certa desconfiança em relação ao seu comportamento. Em campo, os dribles de sempre, algumas contusões e um retorno conturbado. A demora na volta gerou disse-me-disse e ninguém do clube confirmava o problema, se era lesão mesmo ou punição. No jogo de empurra, todos negaram outro envolvimento com drogas e a diretoria explicou ser caso de noitadas e bebedeiras, assim como em Brasília.

Vê-se que ele não aprendeu com a amarga experiência recente. Em campo, continua sendo difícil de ser marcado, como visto no clássico diante do Fluminense. Fora dele, não consegue raciocinar com a mesma inteligência que tem com a bola nos pés.


Tatiana Furtado
Leia mais

Tropa de Elite 2


Fui ver Tropa de Elite 2 e gostei tanto que reproduzo uma parte do post de minha amiga Giselle de Almeida sobre o filme. A crítica completa está no blog Comentar é Preciso.
Tropa de elite 2 poderia ser só um caça-níquel. Faturaria aos tubos se tivesse apenas uma história rasa, arrastaria milhões aos cinemas se repetisse a temática do primeiro filme, atiçaria a ganância dos piratas mesmo se fosse restrito ao universo da violência nos morros cariocas, cairia no gosto popular com mais uma meia dúzia de frases de efeito. Mas o longa de José Padilha veio na hora certa, sem afobação, mantendo a pegada forte do original, mas elevando o nível da discussão para esferas superiores. E é uma porrada. Não sei você, mas eu saí do cinema discordando do letreiro inicial do filme: apesar das semelhanças com a realidade, é tudo ficção. Quem dera.

Achei inteligente tirar a ação da favela, que é o lado mais vulnerável e mais visível da história, e levar a trama para os bastidores políticos. O primeiro filme tornou-se um fenômeno pop, seria fácil continuar na mesma fórmula, mas também óbvio demais. Mais do que uma continuação, Tropa 2 é uma evolução sobre o tema segurança pública, do qual Padilha gosta tanto. E as diversas citações que ele faz a pessoas, lugares e casos da vida real só torna o filme mais rico. E a situação mais assustadora.


Giselle de Almeida

Quer saber mais sobre Tropa de Elite 2? Veja a crítica completa em:

Leia mais

Ronaldinho humilha

Olha o que Ronalidinho Gaúcho fez no jogo do Milan contra o Chievo no último fim de semana.Vale bater palmas para o defensor, que não deu um pontapé no brasileiro.

.
Leia mais

Os goleiros do Flu






Um dos postulantes ao título brasileiro, o Fluminense gastou muito para isso. Paga salários absurdos para Fred, Emerson, Deco, Muricy Ramalho, isto sem falar nas luvas, que são pagas para o jogador ou treinador, deixar onde está e assinar com o novo time.

Apesar disto, Celso Barros (presidente da Unimed) e Roberto Horcades (presidente do Flu) deixaram um furo muito grande: a camisa um. O Tricolor tem três goleiros na disputa do Brasileirão. Fernando Henrique, Rafael e Ricardo Berna e nenhum tem condições de ser titular.

O melhorzinho dos três é Fernando Henrique. Além de tecnicamente ser superior, tem uma história no clube e uma fase sensacional na campanha da Libertadores, no qual o Fluminense foi vice-campeão. Só que FH quebrou o dedo e só deve voltar no ano que vem.

Rafael é muito ruim. Lento, sem reflexo e, principalmente com péssima colocação. Rafael é especialista em tomar gols de faltas. Já era ruim no Vasco e só está mantendo a falta de talento no Flu.

No jogo de ontem, contra o Botafogo, Muricy barrou Rafael e colocou Ricardo Berna. Os problemas estão longe de acabar. Berna é muito fraco. Cada bola alçada na área tricolor é um ai jesus. Sem falar que o bom posicionamento não é o seu forte.

O Flu pode até ser campeão brasileiro, mas com creteza, o camisa um é para ser riscado do pôster de campeão. Falta de planejamento da diretoria tricolor. E de talento debaixo das traves.
Rodrigo Stafford
Leia mais

Cariocas são os reis do empate







Flamengo, Vasco e Botafogo juntos empataram 41 vezes no Brasileiro e lideram o ranking nesse quesito. Vascaínos e alvinegros têm 14 empates cada um; os rubro-negros, estão logo atrás com 13, acompanhados do Palmeiras. É muito ponto perdido, que talvez explique as posições em que se encontram.

Numa visão poliana, pode-se dizer que eles ganharam 14 pontos, e, sem estes, estariam em situação crítica. Mas se contarmos que em muitos jogos deixaram o adversário empatar, como o Flamengo contra o Avaí, não pra ser tão otimista.

Numa conta rápida, se os três tivessem vencido pelo menos metade dos jogos que terminaram empatados estariam assim: Botafogo com 58 pontos; Vasco, 55; e Flamengo 46, salvo do rebaixamento. E ainda teriam tirado pontos de adversários diretos.

Tatiana Furtado
Leia mais

Placar Chutômetro


Tatiana

Flamengo 2 x 1 Inter (5)
Atlético-PR 3x2 Goiás (5)
Atlético-GO 1x0 Vasco (5)
Atlético-MG 2x1 Avaí (5)
Grêmio 2x2 Cruzeiro (0)
Guarani 1x2 Corinthians (0)
Fluminense 0x0 Botafogo (10)
Palmeiras 2x0 Ceará (0)
Vitória 2x0 Prudente (10)
São Paulo 1x3 Santos (0)

Rodrigo

Flamengo 2x1 Inter (5)
Atlético-PR 2x0 Goiás (5)
Atlético-Go 1x1 Vasco (0)
Atlético-MG 3x1 Avaí (5)
Grêmio 1x1 Cruzeiro (0)
Guarani 0x2 Corinthians (0)
Fluminense 1x1 Botafogo (5)
Palmeiras 2x0 Ceará (0)
Vitória 0x0 prudente (0)
São Paulo 1x3 Santos (0)

Rodrigo 261 x 274 Tatiana
Leia mais

Futebol Internacional: Ressaca Pós-Vuvuzela




Três meses após o fim da Copa do Mundo, as seleções que participaram do torneio na África do Sul ainda vivem a ressaca dos devastadores efeitos causados pelo som das vuvuzelas. Nada muito espetacular, tudo muito protocolar: assim têm sido os últimos encontros entre selecionados pelo mundo.

No velho continente, há apenas duas exceções a essa regra nas eliminatórias da Euro 2012, na medida em que Montenegro e Noruega surpreendem grandes forças europeias e lideram os grupos G e H, respectivamente.

Os montenegrinos lideram a chave que tem como principal força a Inglaterra, traumatizada por não se classificar à Euro 2008. A liderança é fruto de um empate sem gols na partida disputada em Wembley nesta terça-feira, resultado frustrante para os anfitriões e muito comemorado pelos visitantes, que atuaram desfalcado de Vucinic, jogador do Roma e sua maior estrela. Ainda assim, parece ser questão de tempo a troca de posições na tabela de classificação, bastando ao English Team vencer a Suíça, em casa, para retomar as rédeas do grupo.



Os noruegueses, por sua vez, parecem querer dar o ar de sua graça pela primeira vez em muitos anos. Desde a Copa do Mundo de 1998, na qual chegou a derrotar o Brasil, a Noruega vinha desaparecendo silenciosamente do cenário futebolístico mundial; agora, porém, o retrospecto é animador, com 3 vitórias em 3 jogos. Além disso, a Noruega se aproveita da irregularidade da seleção portuguesa, que não consegue traduzir em domínio o seu favoritismo inicial, ocupando a segunda colocação mesmo tendo disputado uma partida a mais. A situação do time liderado por Cristiano Ronaldo já é desconfortável e pode piorar caso não vença os noruegueses em seu próximo compromisso. Além da atual líder, outra séria ameaça é a terceira colocada Dinamarca, cujo histórico revela a capacidade de surpreender a Europa.

CURTINHAS

Absurdo: inaceitável o comportamento da torcida sérvia em Gênova. A seleção do país deve ser punida exemplarmente com a exclusão da Euro 2012 e até mesmo de competições futuras.

De vento em popa: mantendo o ritmo da Copa, Espanha, Holanda e Alemanha vão muito bem, sem sobressaltos.

Que voltem logo: começa muito bem o trabalho de Mano Menezes, porém os dois amistosos recentes indicam que não dá mais pra falar em seleção brasileira sem Neymar e, principalmente, Ganso.
Pedro Mendonça é o colunista de Futebol Internacional do Futeblogeando
Leia mais

Saída de Adilson não foi uma boa para o Corinthians




Adilson Batista não suportou a má fase do Corinthians e pediu demissão. Ou foi demitido, se lembrarmos que antes da derrota pro Atlético-GO torcedores de organizadas foram conversar com treinador. De uma forma ou de outra, o técnico estava com a corda no pescoço. Mas está longe de ser o culpado e sua saída não resolverá os problemas do time.

De líder, o time caiu para terceiro, está a cinco pontos da ponta, não vence há seis jogos. Panorama que não pode ser colocado só na conta do técnico. A equipe perdeu jogadores importantes e mostrou que não tem um banco a altura.
Ao mesmo tempo, problemas internos começam a virar notícia. Nesse caso, o problema de Adilson pode ter sido não saber lidar com um grupo cheio de estrelas, que tinha a total confiança de Mano Menezes. Substituí-lo pode ter sido o seu erro.

Tatiana Furtado
Leia mais

46: o número mágico



Faltam nove rodadas para o fim do Brasileirão e finalmente todos os times têm o mesmo número de jogos. Na parte de baixo da tabela, as equipes só pensam em um número: 46, o necessário para salvar-se do rebaixamento.

O Prudente está quase rebaixado. Para chegar aos 46 pontos, que o Fluminense conseguiu no ano passado, o time tem de vencer 8 partidas e empatar uma. De acordo com o site Infobola tem 99% de chances de cair.

Se o Prudente já deitou no caixão, falemos dos outros. Goiás tem 68% de chances da degola. Precisa de 18 dos 27 pontos a serem disputados. É mais de 66% de aproveitamento, o que nem o Cruzeiro, líder do campeonato, conseguiu.

Os Atléticos, de Minas e Goiás, mostram sinais de recuperação. Mas mesmo assim a luta é complicada. O time de Dorival Junior precisa do mesmo que o Goias, mas suas chances de cair são de 65%. Os comandados por Renê Simões têm 50% de chances de ser degolado, menos que o Avaí (55%), que não se encontra na zona de rebaixamento, mas que vive fase terrível no Brasileirão.

Quem também vem muito mal é o Vitória. O time, agora comandado por Antonio Lopes, perdeu os últimos cinco jogos e flerta com a degola. Tem 41% de chances de cair.

Mais tranquilos estão Flamengo, Guarani e Ceará. Os cariocas (11% de chances) e os campinenses (10%) precisam de quatro vitórias em nove partidas. Os nordestinos estão em uma situação cômoda. Com 38 pontos, precisam de 8 pontos em 27 para se garantir na Série A de 2011.

Fonte: Infobola

Rodrigo Stafford
Leia mais

Flamengo refém dos laterais



Desde que Ney Franco chegou ao Flamengo em 2006, os laterais viraram armas e referências da equipe. Leo Moura e Juan surgiram soberanos há quatro anos e até hoje reinam sem sombras.

No entanto, existem lados positivos e negativos deste reinado. Podemos citar com positivos a qualidade dos dois que pode ser ressaltadas principalmente quando um dos dois não está em campo. A diferença técnica entre os titulares e reservas é um absurdo, independente de quem seja o suplente. A regularidade de Leo Moura é outro benefício do Rubro-Negro.

O lado ruim é a dependência que eles provocam. Além disto, raramente ou jamais, os dois tiveram em boa fase ao mesmo tempo. Para completar, quando o Fla ganhou o título brasileiro foi o único período que o time não esteve dependente da dupla, pois Petkovic e Adriano chamavam a responsabilidade.

O custo-benefício de Leo Moura e Juan é absurdamente favorável ao Rubro-Negro. Apesar de todos os treinadores que passam por lá armarem esquemas que favoreçam os, mais que laterais, os alas, qual time do Brasil não queria ter os dois.

Rodrigo Stafford
Leia mais

Torcedor quer bons jogos ou estádio moderno?



Deixar o carro no estacionamento; almoçar no restaurante famoso com toda a família; fazer compras no shopping ou na loja de artigos esportivos; comer um cachorro quente ou um pastel com cerveja na lanchonete cheia de telões... Assim é uma tarde/noite num estádio moderno europeu ou nos Estados Unidos, cujos atrativos vão bem além do jogo.

Com a proximidade da Copa só se fala em modernizar estádios e os projetos e as promessas apresentadas fazem crer que em 2014 seja assim por aqui também. Nada contra conforto pro torcedor, um museu decente no Maracanã e comida de qualidade. Mas não imagino que isso seja o suficiente pra manter os estádios brasileiros cheios ou que a falta disso é o motivo de estádios vazios.

Quem costuma ir ao estádio todo jogo do time vai pelo time, não pra comer, beber (tudo bem, a volta da cerveja, se houver, é mais do que bem vista) ou comprar boné da nike ou da adidas. A cultura do esporte como um grande dia de entretenimento ainda não chegou entre os torcedores de futebol no Brasil. Se tiver, ok. Mas não é isso que vai levar mais gente aos jogos.

O torcedor vai pra torcer, pra sofrer com o time. Mais torcedores vão, se o time estiver bem no campeonato. Bom exemplo é o Engenhão. Sempre quando o time está bem os alvinegros comparecem ao estádio, o que ultimamente tem sido com mais regularidade. Ou alguém imagina um Flamengo x Friburguense, sexta rodada do Carioca, lotar um Maracanã por causa das lojas e restaurantes...

Tatiana Furtado
Leia mais

A ressurreição de Dedé


Anderson Vital da Silva, ou simplesmente Dedé, vem sendo vital para o time do Vasco no Brasileirão. Parando com os trocadilhos, o zagueiro que começou no Volta Redonda passou quase um ano sem chances no Vasco até ser alçado ao posto de salvador da pátria da defesa cruzmaltina.

Por que dedé se destaca na zaga vascaína? Porque tem personalidade, é bom no jogo aéreo e é sério. Além disto, qualquer comparação com os zagueiros do time da Colina são grotescas. Titi, Cesinha e Fernando são péssimos. Nível série B. E Jadson Vieira eu nunca vi jogar.

Dedé não é um zagueiro espetacular. É mediano como a maioria dos defensores brasileiros, mas para quem joga com vários cegos, quem tem um olho é rei.

Aos 22 anos, o zagueiro é chamado de Mito. Se os vascaínos chamam Dedé de mito, do que chamar Mauro Galvão?


Rodrigo Stafford
Leia mais

Vôlei: Tricampeão com justiça e mácula





Campeão e melhor time disparado, o Brasil não teve problemas para despachar Cuba por 3 a 0 (25/22, 25/14 e 25/22) e conquistar o tricampeonato mundial de vôlei masculino.

Vi e torci muito. Sou fã do trabalho de Bernardinho e da dedicação que este time sempre mostrou, seja nas partidas ou nos treinamentos. No entanto, por mais merecida que esta conquista tenta sido, e foi, uma mácula foi feita: o jogo contra a Bulgária.

Concordo que o regulamento era absurdo e que outros como Sérvia e Rússia entregaram o jogo também, mas nada justifica. Esporte em alto nível é feito para ganhar. Perder de propósito entra numa questão ética, que entra na velha máxima de quem quer ser campeão não pode escolher adversários.


Dentro de quadra, o Brasil é quase imbatível. Murilo recebe com maestria e tem uma velocidade no ataque absurda. Bruninho é o cerebro do time. Vissoto, um monstro nas horas decisivas. Mario Jr está longe de ser um Serginho e ainda assim é ótimo. Os meias Rodrigão e Lucão misturam técnica, velocidade e agilidade. Isso que a lenda Giba nem entrou em quadra.

Um time verdadeiramente campeão, mas que teve uma pequena mancha desta vez. Mas de qualquer forma, parabéns Brasil!

Rodrigo Stafford
Leia mais

O Cruzeiro de Cuca quer ser campeão




O Corinthians parece não querer, o Fluminense está fazendo de tudo pra não chegar lá... Se os dois desdenham o título Brasileiro, o Cruzeiro não. Andou tropeçando em algumas rodadas, mas na hora certa não perdeu a chance. Venceu o tricolor, até então líder, e tem nove rodadas pra segurar a taça.

Méritos e qualidade pra isso tem. A começar pelo técnico Cuca, que foi demitido pelo Fluminense, assinou com o Cruzeiro e, durante a parada da Copa, formou uma boa equipe. Com o bom goleiro Fábio, que apesar de alguns frangos, tem muita técnica e é um dos melhores do país. A zaga não é das melhores, mas também não é das piores. Está na média (mesmo com Edcarlos). O ataque com Thiago Ribeiro e Farías tem feito bem o papel. Agora, conta com a volta de Wellington Paulista, artilheiro do time, mas abaixo tecnicamente. Só que como faz gol - e fez o da liderança - tem vaga garantida.

Mas a diferença do time mineiro tem sido o meio-campo. Roger, quando joga e em forma, tem garantido a qualidade do toque de bola e o passe certeiro. E o Cruzeiro conta hoje com o melhor meia do Brasileiro, que é argentino. Montillo, que chegou depois da Copa, não precisou entrar em forma, nem se adaptar. Saiu do Universidad de Chile e continuou jogando a mesma bola. Arma, cadencia, dá velocidade e faz gols. O que for preciso, Montillo faz.

O entrosamento do time é outro trunfo. Mesmo quando não conta com o argentino inspirado, basta achar um espaço, deixar pros atacantes resolverem. Depois, é só segurar o resultado. E o Cruzeiro tem feito isso bem. Agora, só falta segurar mais nove jogos, que não serão fáceis: Grêmio, Atlético-MG, Prudente, São Paulo, Vitória, Corinthians, Vasco, Flamengo e Palmeiras. Mas os dos outros também não...


Tatiana Furtado
Leia mais

Teorias da conspiração


O futebol tem máximas para qual não dou a mínima. São chatas e nem sei se merecem ser desmistificadas, mas, a pedidos, vou fazê-las com algumas.

Flamengo nunca vai cair porque o presidente da CBF é rubro-negro. Sim, Ricardo Teixeira é flamenguista! E daí? Giulitte Coutinho era América e o time nada ganhou! O presidente da CBF gosta de dinheiro e poder, não se importa com quem será campeão. Então por que o Rubro-Negro só venceu dois brasileiros nos últimos 20 anos?

Corinthians vai ser campeão por troca de favores entre Teixeira e Sanchez. Se fosse
assim, o Timão teria doze títulos. Os dois dirigentes se dão bem, Sanchez pode ser o sucessor de Teixeira em 2014, mas de resto é teoria da conspiração. Ué? Teixeira é Flamengo ou Corinthians?


Flu é prejudicado pela arbitragem. É prejudicado sim. Como os 20 clubes da Série A são. As arbitragens são horrorosas no Brasileirão, logo todos os times são prejudicados. E ajudados. Simples assim. Esta vale pro Botafogo também.


Rodrigo Stafford
Leia mais

Vanderlei já faz seu primeiro milagre


Não dá pra saber se o Flamengo estava jogando tão mal porque os jogadores não gostaram do estilo Silas ou a chegada de Vanderlei Luxemburgo - como de qualquer outro técnico - deu aquele costumeiro gás extra no time. O fato é que na estreia do treinador coisas que pareciam impossíveis aconteceram: o ataque do Flamengo fez os dois gols da vitória. E Val Baiano conseguiu finalmente marcar o primeiro depois de 10 jogos - oração, reza forte, macumba ou boacumba, não importa, nada estava adiantando, mas Vanderlei adiantou.

Não pude ver o jogo - estava vendo Cruzeiro e Goiás -, mas pelos comentários ao lado os rubro-negros não têm ainda o que comemorar. Disseram que o futebol foi fraco, com leve melhora no segundo tempo e o tal dedo do técnico no time mesmo com os poucos dias de trabalho. Já é alguma coisa pra quem quer fugir do rebaixamento (detalhe importante a ser lembrado é que é apenas uma ameaça, de fato o Flamengo ainda não esteve entre os quatro últimos e, por isso, só depende dele).

Uma arrancada igual a do Grêmio com Renato Gaúcho é pouco provável. O time tem muitas deficiências e dificilmente serão corrigidas em 10 rodadas. Cabe a Vanderlei, que disse que iria se reciclar (como ele conseguiu isso em 15 dias, não sei), saber reaproveitar os jogadores que tem nas mãos. Casca de ovo, de banana e papel usado sabemos que podem ser reutilizados. Como ele fará isso com um Pet se arrastando em campo, Renato Abreu fora de forma, Deivid quase um poste, entre outros, é missão pra quem chegou ao status de dirigir o Real Madrid.


Tatiana Furtado
Leia mais

A importância de Loco Abreu


Loco Abreu é craque? Não, longe disto! Loco Abreu é um poste? Também longe disto! Apesar da imensa facilidade que o atacante do Botafogo tem com a cabeça, ele também sabe jogar com os pés e tem uma qualidade bem incomum para o futebol brasileiro: o posicionamento.

Pensando rápido só sei um jogador no Brasil que se coloca melhor que o uruguaio. Ronaldo Fenômeno. Lógico que não dá para comparar os dois e que Loco não pode nem engraxar as chuteiras do atacante do Corinthians, mas pelo menos nisso eles são próximos.

O camisa 13 sabe usar bem o corpo e chuta bem. Tem pouca habilidade, mas é inteligente. Para os críticos que falaram mal do atacante em sua chegada, Loco Abreu já provou o contrário. É um ótimo atacante para qualquer time do Brasil. Sem falar que é bem humorado e carismático.

Um golaço do presidente Mauricio Assumpção!
Rodrigo Stafford
Leia mais

Atlético-MG: um time rachado



A frase que mais se ouve sobre o Atlético-MG é: "não tem time pra estar na zona de rebaixamento". Mas o fato é que está lá há algum tempo e só na última rodada mostrou fôlego pra sair. Coincidentemente ou não, foi após a saída do técnico Vanderlei Luxemburgo que veio a lufada de esperança. Acredito não ser tanta coincidência. Ambiente pesado, grupo dividido, derrubar treinador não é difícil nessas condições.

Jogadores renomados, talentosos, estrelas que já foram eleitas craques do Brasileiro. Diego Tardelli, Ricardinho, Réver, Daniel Carvalho e Diego Souza. Tudo pra ser um dos melhores times do campeonato comandado por um dos maiores vencedores do Brasil. Mas não deu certo até o momento. Assim como o Fluminense, pode dar uma daquelas arrancadas e se salvar. Não é impossível. Ainda assim continuará sendo um time que não deu certo.

Além da divisão em grupos, negada pelos jogadores, é claro, o Galo apostou em atletas que não disseram ainda a que vieram. Casos de Daniel Carvalho e Diego Souza. O primeiro exibe péssima forma física, os quilos a mais são visíveis. O segundo, que também não está na sua melhor forma, compromete pelo destempero. Só lembrar o carrinho em Carlinhos, do Fluminense, após ter entrado no segundo tempo.

Coincidência ou não, de novo, Diego Souza, eleito o melhor do Brasileiro 2009, estava no Palmeiras de Muricy Ramalho. Time líder do campeonato por maior número de rodadas, que se esfacelou na reta final e perdeu título e vaga na Libertadores.


Tatiana Furtado
Leia mais

Placar Chutômetro


Tatiana


Fluminense 2x2 Santos (0)

Grêmio 3x0 Prudente (5)

Guarani 1x2 Botafogo (0)

São Paulo 1x1 Vitória (0)

Atlético-PR 3x1 Vasco (0)

Atlético-MG 1x2 Corinthians (0)

Ceará 0x2 Inter (0)

Flamengo 2x0 Atlético-GO (10)

Goiás 1x2 Cruzeiro (5)

Palmeiras 2x0 Avaí (5)

Rodrigo


Fluminense 1 x 1 Santos (0)

Grêmio 2 x 0 Prudente (5)

Guarani 2 x 1 Botafogo (0)

São Paulo 1 x 0 Vitória (5)

Atlético-PR 2 x 1 Vasco (0)

Atlético-MG 1 x 2 Corinthians (0)

Ceará 1 x 1 Inter (0)

Flamengo 2 x 0 Atlético-GO (10)

Goiás 1 x 2 Cruzeiro (5)

Palmeiras 2 x 0 Avaí (5)


Rodrigo 241 x 234 Tatiana
Leia mais

Montillo mostra seu talento


Tido no Chile e na Argentina como um jogador de extrema habilidade, mas muito preguiçoso, rápidos, Walter Damián Montillo mostra no Cruzeiro apenas a sua parte boa. Inteligente, com grande visão de jogo e boa possibilidade de conclusão, Montillo é um dos melhores do Brasileirão, ao lado de Conca e Bruno César.

Um fato a favor do argentino é que o time inteiro do Cruzeiro vem atuando muito bem. Toques rápidos, marcação sob pressão e um toque de bola característico dos times comandados por Cuca.

Outra fator oriundo do treinador é o desapego a liderança. Sempre que tem a chance de chegar mais perto dos líderes, o Cruzeiro tropeça. Talvez fruto da síndrome de perdedor que não larga Cuca.

Com um jogadoraço como Montillo, as coisas ficam mais fáceis para o Cruzeiro, mas daí a ser campeão são outros quinhentos. Mas que os 6.2 milhões de reais que o time mineiro pagou pelo ex-jogador do Universidad de Chile foram muito bem gastos, ninguém tem dúvida.


Rodrigo Stafford
Leia mais

Faltou ética a Carpeggiani?


O técnico Paulo César Carpeggiani é certamente um dos melhores do Brasileirão. Quando chegou ao Atlético-PR, na quinta rodada, o time estava em 18o e, na zona de rebaixamento e a única perspectiva era lutar para fugir da Série B, em 2011.

Vinte e uma rodadas depois, o treinador deixa o Furacão na quinta colocação brigando por uma inesperada vaga na Copa Libertadores. Foram onze vitórias, seis derrotas e cinco empates.



Aí veio o convite do São Paulo e o treinador não teve dúvidas ao ir para o Morumbi. Muitos reclamaram de falta de ética por parte de Carpeggiani, mas não concordo. O Atlético-PR fez um contrato sem multa prevista. Isto quer dizer que se o trabalho não fosse bom, o clube não precisaria pagar nada em caso de rescisão de contrato. Como o trabalho foi ótimo, ele também não teve que pagar nada ao clube e foi embora.


Na minha opinião, o Furacão só poderia dizer uma coisa: Obrigado Carpeggiani!


Rodrigo Stafford
Leia mais

Prass: goleiro sem carisma




Fernando Prass chegou ao Vasco no início de 2009, não muito conhecido pelos cariocas, mas logo assumiu a camisa 1, até então de Tiago. Falava-se bem dele em Portugal, onde jogou três anos pelo União de Leiria. Demorou pouco pra mostrar ser um goleiro seguro e bom. Mostrou isso no Carioca e na Série B. E continua na Série A.

Mesmo sendo um dos melhores goleiros que o Vasco teve nos últimos anos, falta a Prass algo que o faça entrar pra memória dos torcedores: carisma. Características que, muitas vezes, não tem a ver com talento. Mas pode ser suficiente pra que alguns jogadores ganhe fama de ídolo.

Prass tem tudo para vestir a camisa um do Vasco por mais alguns anos, mas dificilmente chegará ao status que Carlos Germano, por exemplo, tem com a torcida. Claro que ainda não conquistou título no clube - acho que a Série B não deve contar muito quando se trata de um clube grande.


Tatiana Furtado
Leia mais

Um dia negro da história do Flamengo


O dia 1 de outubro de 2010 não pode e nem deve ser esquecido pelos 35 milhões de rubro-negros de todo o país. Zico desistiu de dar um jeito no Flamengo. E com motivos. Uma avalanche de denúncias infundadas lideradas pelo grupo de Delair Dumbrosky e Capitão Leo. Até a família do Galinho foi atingida.

Sobre as denúncias, quem melhor explicou foi o jornalista Paulo Vinicius Coelho e por isso recomendo a leitura de seu blog (PVC: A absolvição de Zico e os erros das denúncias de Leonardo Ribeiro (
http://espnbrasil.terra.com.br/pvc) .

Li muitas coisas nas redes sociais. Manifestações pela permanência de Zico (maioria) e xingamentos ao ex-jogador por ter abandonado o barco. Não condeno a atitude de Zico. Acho que a gestão dele nestes quatro meses não foi das melhores, mas acreditava em sua vontade de fazer melhorar o Flamengo. Não pode é um sujeito como um tal Capitão Leo ter tanta força política no clube, em detrimento ao maior jogador que já passou pela Gávea.

A saída do Galinho é um tiro no coração da presidente Patricia Amorim e do time de futebol. A política na Gávea está em ebulição e se o maior ídolo da história foi fritado em quatro meses, imagina o que farão com Patricia. Sem o apoio de Zico, o time de futebol terá mais dificuldades ainda para conseguir seu único objetivo no Brasileirão: salvar-se da série B

Seis anos depois de demitir um de seus grandes ídolos, Junior, o Flamengo repete a dose e expulsa o maior de todos. Eu e Tatiana escrevemos no dia 31 de maio que a ida para o Fla não era uma boa para Zico, mas não esperavamos que ele fosse ser enxotado tão rapidamente.

A torcida rubro-negra está de luto. Ou pelo menos deveria estar.

Rodrigo Stafford
Leia mais

Placar Chutômetro


Tatiana


Vasco 2x 0Goiás (5)

Santos 1x1 Palmeiras (10)

Vitória 2x1 Grêmio (0)

Prudente 1x1 Fluminense (10)

Corinhtians 2x0 Ceará (0)

Cruzeiro 3x2Atlético-PR (0)

Botafogo 1x3 Flamengo (0)

Inter 3x0 Guarani (10)

Avaí 2x2 São Paulo (5)

Atlético-GO 0x0 Atlético-MG (0)



Rodrigo



Vasco 2 x 0 Goiás (5)


Santos 1 x 1 Palmeiras (10)

Vitória 1 x 3 Grêmio (5)

Prudente 1 x 0 Fluminense (0)

Corinhtians 3 x 0 Ceará (0)

Cruzeiro 2 x 0 Atlético-PR (0)

Botafogo 1 x 1 Flamengo (10)

Inter 2 x 0 Guarani (5)

Avaí 1 x 1 São Paulo (5)

Atlético-GO 1 x 1 Atlético-MG (0)
Rodrigo 251 x 249 Tatiana
Leia mais

Joel: a graça do futebol

"Nós vamos nos doar ao máximo". "Fulano faz muita falta, mas quem entrar vai dar conta do recado". "Vamos buscar os três pontos". "Feliz por ter feito o gol, mas o mais importante foi a vitória do time". Leitores e jornalistas já devem estar cansados do discurso pasteurizado dos boleiros. Só não estão mais porque existe Joel Santana no futebol carioca.

Graças a ele, o noticiário fica mais divertido, mais leve. Como o futebol também deve ser. Nada de frases empoladas dos pseudo-professores. Língua dos jogadores de futebol, compreendida por todos. Até mesmo em inglês! Não importa se correto ou não. Vira piada no mundo, mas todos o entendem.

Motivo de chacota, o treinador parece não se importar. Continua sendo a estrela das entrevistas coletivas, se autoproclama Rei do Rio, o Cara do Cara e, sem preconceito algum, chama o viadinho do Somália na beira do campo.

Não bastasse já ter garantido presença na história da crônica esportiva pelo lado folclórico, Joel tem estrela e será lembrado como vencedor. Campeão inúmeras vezes, a prova mais recente foi o título, inesperado, do alvinegro no Carioca. E, quando alguns colocavam o Botafogo como candidato ao rebaixamento, o time está na disputa pela Libertadores.

Tatiana Furtado
Leia mais