Share |

terça-feira, 14 de setembro de 2010

F1: Pouca emoção na pista, mas no campeonato...


Não foi um Grande Prêmio tão emocionante quanto se esperava, mas em relacão ao campeonato foi o que melhor poderia acontecer, pois trouxe de volta o equilíbrio desejado, com mais pilotos na disputa pelo título.

A corrida, que não teve muitas disputas, se deu pelo duelo de Alonso, com novo pacote aerodinâmico de baixa pressão para Monza, e Button, que apostava em novo acerto com mais asa na McLaren, mais arrasto areodinâmico para poder frear e forçar ao máximo possível nas curvas e usar o famoso duto frontal. O contrário, apostou o seu companheiro Hamilton.

Na largada, Alonso foi mal e perdeu a posição para Button. Ele chegou a disputar as primeiras curvas com Massa, mas o espanhol conseguiu manter a segunda posicão.Hamilton largou bem, e nessa confusão na primeira chicane, colou atrás das Ferrari e tentou precipitadamente, ao final da segunda chicane, forçar a ultrapassagem para cima de Massa. Errou e tocou com o pneu dianteiro direito no traseiro esquerdo do brasileiro. Pior para Hamilton, que teve sua suspensão quebrada e viu a chance de retornar à ponta da tabela parar na caixa de brita.



A essa altura as Red Bull vinham atrás, sem mostrar a força de outros GPs. Após a largada, Alonso vinha na cola de Button, mas sem conseguir alguma manobra de ultrapassagem. E Massa, logo atrás, seguindo os dois. Assim seguiram os ponteiros até a parada no box. Alonso parou uma volta depois e aproveitou que Button estava com pneus duros com dificuldade de aquecimento. O espanhol fez uma grande volta, parou no box e voltou à frente do inglês. Mérito dele e da equipe, que o devolveu rápido a pista.


Após o duelo Alonso X Button, a corrida que já estava monótona ficou pior. Praticamente sem disputas, à exceção da ultrapassagem de Webber sobre Hulkerberg, que diga-se, fez grande classificação e grande corrida, mostrando sua evolucão durante a temporada. Ele provou que tem de se dar tempo aos pilotos jovens, para que se acostumem com um F1. Não é apenas soltar um garoto no meio da pista e querer resultados imediatos. O resultado também mostra que, definitivamente, o carro da Williams evoluiu e já pode se tornar presença constante entre os primeiros colocados. Grande parte dessa evolucão, sem dúvida, é mérito de Barrichello, que embora não tenha feito grande corrida - prejudicado pela presença de Buemi à frente -, tem realizado ótimo trabalho de desenvolvimento deste carro. Para Cingapura, a Williams levará a última atualização do ano que já está pronta, passando, então, a focar no desenvolvimento do FW33.


E assim seguiram até a bandeirada final, com Vettel apostando numa tática arriscada de parar na última volta. Deu certo. Pelo susto do problema de motor no início, tendo perdido posicões e largado em sexto, saiu no lucro.


Em resumo, a corrida foi ruim para Hamilton e Webber, mas excelente para Alonso, Vettel e Button, recolocando-os na briga pelo título. Assim o campeonato fica com Webber na liderança do Mundial, com 187 pontos, cinco a mais que Hamilton. Alonso foi a 166. Button tem 165 e Vettel, 163. Para as próximas corridas, são esperadas dificuldades para as McLaren e domínio dos carros da Red Bull. E as Ferrari? Foi apenas nesta corrida ou a reação continuará nas ruas de Cingapura? Tomara que reaja para termos um fim de campeonato emocionante, com muitos pilotos na disputa.


Carlos Eduardo Fontes é o colunista de Fórmula 1 do Futeblogeando

0 comentários:

Postar um comentário