Share |

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Um novo Inter com Celso Roth


Qual o mérito de um técnico que chega na reta final da competição e leva o time ao título? Depende. No caso de Celso Roth, ainda que o Inter não seja campeão da Libertadores, todo. O treinador chegou no meio da parada da Copa e conseguiu arrumar a equipe e devolver a principal característica do colorado: a ofensividade.

Mesmo sem contar com os reforços "estrangeiros" venceu três jogos no Brasileiro. Na quarta partida, já podia escalar os jogadores vindo de fora. Independentemente de quem veio, o Inter já tinha um time bom. Mas não se adequou ao estilo uruguaio de Jorge Fossati, que tentou impor um esquema mais defensivo, com apenas um atacante. Além do clima interno não ser dos melhores, com a diretoria "fritando" o treinador por algum tempo.

Apesar da fama de retranqueiro, Roth soube encaixar as peças formando uma defesa sólida e usando o potencial ofensivo dos mais talentosos. Hoje, o time joga com dois atacantes e com D'Alessandro quase como ponta direita. Há ainda o revezamento entre Giuliano e Andrezinho na armação. Com a entrada do Tinga, tende a ficar mais ofensivo.


Isso faz o Inter, com excelente elenco, favorito ao título do Brasileiro ao lado do Fluminense.


Rodrigo Stafford e Tatiana Furtado

1 comentários:

Renato disse...

Isso sem falar na recuperação do Taison. Com o Roth, voltou a jogar muito bem, na minha opinião um dos melhores do time atualmente.

29 de julho de 2010 23:16

Postar um comentário