Share |

sexta-feira, 16 de abril de 2010

O difícil Petkovic


Rodrigo Stafford
Cadê ele? Cadê ele? As perguntas do goleiro Bruno ao chegar no vestiário, no intervalo de Universidad Católica e Flamengo foram seguidas de dois empurrões e uma tentativa de soco em Petkovic. Correto? Nunca! Primeiro porque agressão nunca é justificada, depois que se Bruno fosse cobrar todos que estavam andando em campo, iria ter que distribuir muitos empurrões.

A atuação do Flamengo foi tão ridícula, que não venceria nem o rebaixado Tigres, no campeonato estadual. Petkovic não atuou bem, mas talvez tenha sido o menos pior do Rubro-Negro naquele primeiro tempo.

Mas, a situação de Petkovic é complicada desde o início do ano. Os jogadores não gostaram do sérvio ter tido férias maiores (por conta do natal ortodoxo) , depois veio a confusão com o vice de futebol Marcos Bráz, na qual, o elenco ficou em cima do muro, o que magoou o camisa 43. A partir daí, Pet tornou-se um jogador introspectivo, fora do grupo, sendo ironizado pelos jogadores, considerado estrelinha e distante de Andrade. Esquece-se até que, ao lado de Adriano, o sérvio foi o principal pilar na conquista do Brasileiro, há quatro meses.

Resumindo, Petkovic só não foi mandado embora porque é idolatrado pelos torcedores (com razão) e Marcos Bráz não quer se indispor com a torcida. Mas, a cada dia a situação está mais insustentável e o contrato do gringo termina em maio. Parece quase fora do Flamengo.

4 comentários:

Anônimo disse...

Não sou flamenguista, no entanto, creio que o Bruno, antes de querer cobrar dos demais jogadores do elenco, deveria fazer uma retrospectiva das suas últimas atuações, recheadas de falhas e que prejudicaram o time. Sem falar no seu comportamento extra-campo, que sempre o leva a protagonizar episódios vexatórios e até grotescos.
A alavancada final do time do Fla, do meio para o fim do campeonato brasileiro, culminando com o título, teve o toque especial de dois grandes jogadores: Adriano e Pet.
Por isso a torcida reverencia esses dois craques.

Um grande abraço
Paulo Manso

16 de abril de 2010 18:38
Anônimo disse...

Falando somente do que é feito dentro de campo, o Bruno tem tanta importância quanto Pet e Adriano na história recente do Flamengo. Ele foi responsável diretamente por dois títulos cariocas, com grandes defesas nas cobranças de pênalti. No próprio Brasileiro, não se pode esquecer os dois pênaltis defendidos por ele contra o Santos, em cobranças do Ganso, hoje badalado no time santista. Jogo que o Flamengo ganhou graças a ele e pôde continuar vivo na competição

17 de abril de 2010 21:12
Anônimo disse...

Impossível comprar o Pet com o Bruno! Em campo, Pet decide mto mais. Fora de campo, o gringo não bate em prostitutas,faz orgias ou vai pra chatuba. Por isso tb é ídolo

17 de abril de 2010 21:31
Anônimo disse...

k

20 de abril de 2010 12:28

Postar um comentário