Share |

sábado, 13 de março de 2010

Arsenal de Internacionalização


Rodrigo Stafford

Há 14 temporadas, Arsene Wenger é o treinador do Arsenal. Sua política de jovens contratações deu muito certo com contratações sensacionais como Cesc Fabregas, Denilson, Ramsey e mais recentemente Wellington Silva. Ele faz este tipo de contratação para poder moldar o jogador à sua maneira.

Só que esta política dizimou os ingleses do Arsenal. Dos 27 jogadores que estão no elenco, apenas três são nascidos na Inglaterra (Campbell, Walcott e Gibbs). A equipe é uma seleção internacional com brasileiro, russo, galês, suiço, belga, mexicano. Ou seja, gente de todas as partes do mundo.

Esta maneira de Wenger prejudica o futebol inglês, já que seus jogadores ficam sem espaço para jogar, evoluir. Será que a Football Association (a CBF de lá) não deveria intervir, colocando um número mínimo de jogadores do país em seus campeonatos?

Se houver uma safra mais fraca de jogadores nacionais, eles serão todos substituídos por estrangeiros e isto se tornaria um ciclo sem fim, com os jogadores ingleses tendo que procurar espaço em ligas menos garbosas
.

1 comentários:

Renato disse...

E o francês Wenger gosta mesmo é de compatriotas.

Que o digam Gallas, Sagna, Diaby, Nasri, Clichy, Silvestre, Traoré...

Isso sem contar os franceses que já jogaram com ele, mas não estão mais no clube, como Henry, Pires, Vieira e Petit.

15 de março de 2010 15:30

Postar um comentário