Share |

Maradona: o cavador


Com a bola rolando, a qualidade de Diego Armando Maradona era indiscutível. À beira do gramado, apesar de ter feito um bom trabalho com a Argentina na Copa, muita gente não gosta do estilo professor paizão do ex-camisa 10. Mas uma coisa impressiona: como cava trabalho!

Sem pensar muito lembro de Flamengo, Santos, Boca Juniors, Aston Villa, Roma, Blackburn, seleção do Irã, seleção do Chile, seleção dos Estados Unidos... é muito time. Lógico que a imprensa dá uma ajuda. Maradona vende muito jornal. Mas tem sempre alguém falando sobre a negociação - seja seu auxiliar Mancuso ou o empresário - o que daria credibilidade.

O fato é que se maradona deseja continuar como treinador, já passou da hora de pegar um clube - ou uma seleção - e mostrar ao que veio.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Como desperdiçar um grande talento



Antonio Cassano é um dos grandes talentos do futebol italiano, mas faz questão de desperdiçar quase todas as chances que lhe aparecem. Seu nome surgiu pela primeira vez em 2001 devido a grande quantia paga pelo Roma para adquirir um jogador de apenas 19 anos. Para tirá-lo do Bari, o clube romano pagou o equivalente a 30 milhões de euros.


Jogou até 2005 pelo Roma, desfilando seu talento e suas confusões. Por conta de discussões contratuais, que duraram mais de uma temporada, foi vendido ao Real Madri por apenas 5 milhões de Euros. No Real, menos futebol, mais saídas noturnas e confusões. Discutiu publicamente com o técnico Capello, foi afastado do time, que não sentiu tanta falta, tendo em vista que a equipe contava com Figo, Ronaldo, Beckham, entre outros. Acabou emprestado e depois vendido para a Sampdoria.


No clube genovês, voltou a apresentar seu bom futebol. Diferentemente dos outros clubes, passou a ser o jogador principal do time e rendeu bem, principalmente depois da contratação do ótimo atacante Pazzini, com quem fez uma das melhores duplas de ataque do futebol italiano. Cassano apresentou grande melhora em seu comportamento. Isso até outubro de 2010, quando faltou a treinos e teve o contrato rescindido. Foi contratado pelo Milan e tornou-se um possível substituto de Ronaldinho.


Pela seleção italiana, fez bons jogos, mas por conta de seu temperamento, ficou de fora das Copas de 2006 e 2010. Aos 28 anos, voltou a ser convocado após a pífia campanha italiana na Copa da África do Sul.É uma pena. Cassano é um dos jogadores italianos mais talentosos dos últimos anos (ao meu ver, só Totti joga mais que ele), mas dia após dia desperdiça as oportunidades que lhe são dadas.


Renato Stafford

Leia mais

Cristiano Ronaldo é craque?



Quando o assunto é Cristiano Ronaldo, logo surge a pergunta: ele é craque? As opiniões são divergentes. Galvão Bueno costuma dizer que Kaká é muito mais objetivo que ele. Outros afirmam se tratar de apenas um bom jogador. O comentarista do Sportv Wagner Vilaron já disse inclusive que acha jogadores como Fernandão e Nilmar (na época, jogadores do Internacional) melhores que o português. Mas, afinal, ele é craque?.


Cristiano Ronaldo é um jogador completo. Pode jogar como atacante, ponta ou até armador. Tem um chute forte e preciso, muita habilidade, bons dribles, é veloz. Entretanto, é cobrado por se omitir em jogos importantes. E essa cobrança procede.


Por Portugal, Ronaldo não consegue repetir as boas atuações que apresenta nos clubes. O melhor momento da seleção portuguesa nos últimos anos foi chegar a semifinal da Copa de 2006. Na ocasião, CR7 era coadjuvante da grande estrela Figo, fazendo muito bem esse papel ao lado de Deco, na seleção dirigida por Felipão. Sua Copa de 2010 foi um fracasso. Só conseguiu atuar bem na goleada por 7x0 sobre a fraquíssima seleção da Coréia do Norte. Contra Brasil e Espanha, mal foi notado em campo.


Entretanto, quando se trata de suas atuações por clubes, a situação é completamente diferente. Foi o artilheiro e eleito melhor jogador da Champions League 07-08 pelo Manchester United, sendo destaque também na final contra o Chelsea, marcando o gol de sua equipe. Pelo clube inglês, além de campeão da Champions e do Mundial de Clubes, foi tricampeão inglês, fez 118 gols e deu 61 assistências em 292 jogos. Jogou muito tempo como ponta direita, e também jogou de atacante, principalmente no fim de sua passagem vitoriosa pelo time inglês, quando foi eleito melhor jogador do Mundo (2008).


Pelo Real Madri, embora não tenha títulos até agora, seus números são ainda mais animadores. Até dezembro de 2010, foram 55 jogos, 51 gols e 13 assistências. Entretanto, a goleada sofrida pelo Barcelona (5x0), com show de Messi, fez com que as críticas ao português, esquecidas até aquele momento, fossem relembradas.


Pra mim, ele é craque, sim. Até porque, se ele não for craque, Lionel Messi é o único que pode ostentar esse status no futebol atualmente. Mas deixa a desejar em alguns jogos importantes.


Renato Stafford
Leia mais

A panela de Mano Menezes


Confesso que gostei quando Mano Menezes foi anunciado como técnico da seleção brasileira. Educado, polido e inteligente era, de fato, a segunda melhor opção para o cargo, só ficando atrás de Muricy Ramalho, qeu estava envolvido em um embróglio com Fluminense e CBF.

Mas Mano me decepcionou. E rápido. se mostrou um verdadeiro paneleiro, convocando jogadores que já trabalharam com ele no Grêmio ou no Corinthians. Na primeira convocação foram André Santos, Elias, Victor, Lucas, Jucilei, Réver e Carlos Eduardo.

Não gosto de alguns destes nomes, mas depois piorou. Veio Douglas Costa, Douglas e até o ex-jogador Ronaldinho Gaúcho. Seleção é a cojunção dos melhores jogadores do país. E definitivamente Réver, em péssima fase no Atlético-MG na época, Ronaldinho, Carlos Eduardo, André e Adriano Corrêa não estão entre os melhores no momento.

Foi inacreditável a não convocação de Hernanes e a volta de alguns medalhões como Julio César e Maicon. Mas Mano fez coisas boas. Chamou Hulk, que vive fase sensacional em Portugal. Acertou com a dupla de zaga formada por David Luiz e Thiago Silva e fez bem em chamar Neymar, que joga demais.

Ainda assim, Mano terá que deixar os bairrismos de lado e convocar os melhores.

Rodrigo Stafford 

Leia mais

NBB: Flamengo se recupera no torneio


Depois de perder sua primeira partida no NBB contra o Pinheiros em uma partida eletrizante, no qual o time paulista chegou a abrir mais de 20 pontos ao final do primeiro tempo, o Flamengo voltou determinado, porém, acabou perdendo por dois pontos.

Entretanto, nas semanas seguintes o clube da Gávea conquistou o hexacampeonato no Carioca de basquete e voltaou a vencer facil no Nacional, por 40 pontos. A vítima foi o Paulistano, que foi derrotado pelo placar de 116 a 76. A equipe  chegou a sua quinta vitoria em seis jogos e continua na liderança do Nacional Masculino de Basquete.

Brasilia, Pinheiros , Joinville e Franca se juntam ao Flamengo para formar os cinco mais bem colocados na competição, que fará uma pausa para os feriados e voltará em janeiro!

João Victor Fiúza

Leia mais

Valdívia e a carta de recomendação


O Palmeiras fez uma carta de recomendação para os jogadores na qual os jogadores devem se cuidar nas férias. Evitar peladas e coisas que desgastem tanto para se apresentar em boas condições. Apenas um jogador não assinou tal carta, que mais parece uma cartilha: Jorge Valdívia.

Talvez, Valdívia não tenha assinado por ser mais inteligente que os demais. Ele sabe que tal carta não tem o menor efeito jurídico. Para fazer isso, o clube teria que ter colocado estas cláusulas em contrato quando contratou ou renovou o contrato dos jogadores. É claro que o chileno causou mal-estar, mas o fez dentro do seu direito.

A carta é um blefe de Felipão e da diretoria, que deveriam estar pensando em reforçar o time e não em iludir os torcedores com contratações megalomaníacas como Adriano e Ronaldinho Gaúcho, que dificilmente virão.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Um dos gols mais perdidos de 2010

Um dos gols mais perdidos do ano. Inacreditável!

Leia mais

A unificação dos títulos


Já escrevi sobre a unificação. Não acho que o torneio Roberto Gomes Pedrosa e a taça brasil sejam a mesma coisa. No entanto, o jornalista José Ilan escreveu um texto definitivo sobre o tema que deveria ser lido por todos. Principalmente pela CBF.

Eis o link!

http://globoesporte.globo.com/platb/ilanhouse/2010/12/22/faltou-criterio-na-unificacao/


Leia mais

Frangaço na Grécia

O zagueiro brasileiro Vanderson, do Pas Gianina atrasou mal a bola para o goleiro goleiro Georgios Sikalias no jogo pela Copa da Grécia, mas o arqueiro...

Leia mais

Basquete NBA: Favoritos já mostram sua cara


Em uma das mais esperadas e polêmicas temporadas da NBA da ultima década, os favoritos vão mostrando a forca de seus elencos e continuam a dominar, tanto na conferência Leste, como na Oeste.

O tao badalado Miami Heat vem mostrando que valeu a pena tanta polemica pela contratação de Lebron James. Tanto que no esperado encontro de Lebron com o seu ex-time, o Cleveland Cavaliers, o astro marcou 38 pontos, deu oito assistências e pegou cinco rebotes. E junto com Dwayne Wade e Chris Bosh o Miami tem feito grandes estragos.


O atual campeão Los Angeles Lakers também não fica atras, com a forca da dupla Paul Gasol e Kobe Bryant. O time continua sua seqüência de vitorias, chegando a sua quinta partida seguida no jogo contra o Toronto Raptors, time de Leandrinho. O brasileiro anotou 11 pontos.


É preciso realçar também, o time do San Antonio Spurs, de Tiago Splitter, que não vem jogando por estar se recuperando de uma contusão. O time faz um inicio de temporada impecável e está na liderança da Conferencia Oeste.

O sempre forte time do Boston Celtics está invicto há 13 jogos. Com o grande reforço do veterano Shaquille O'neal, o time mostra que será uma das grandes potências do campeonato e, depois de ser vice, vem para ser campeão!


João Victor Fiúza
Leia mais

A novela Ronaldinho Gaúcho


Chega perto da abertura do mercado de transferências europeu e as notícias são sempre as mesmas quando o assunto é Ronaldinho Gaúcho: ele pode voltar ao Brasil. É verdade que nesta janela, ele pode assinar com quem quiser, pois faltarão menos de seis meses para o término de seu contrato com o Milan.

Falam que Palmeiras, Grêmio e Flamengo querem o dentuço. Ronaldinho não tem nenhum prestígio junto ao técnico milanês Allegri, tanto que Cassano foi contratado. Uma liberação não seria difícil, mas o fato é que Ronaldinho não tem mais tesão em ser jogador de futebol. Acordar cedo, treinar, concentrar...isso já encheu o saco dele, que adora uma noite com os amigos.

A favor do craque é sua habilidade, que é 400 vezes maior do que os jogadores que atuam no Brasil. E ele pode decidir o jogo, mesmo não bem preparado fisicamente. É um jogador caro, mas que pode trazer muito dinheiro se o marketing for bem feito. Ainda assim não sei se vale a aposta.

Rodrigo Stafford

Leia mais

O novo reforço do Fla: Darío Bottinelli


Um video sobre Darío Bottinelli, o argentino que o Flamengo anunciou ontem como reforço.




Leia mais

Disse e me disse


Não consigo entender parte da imprensa. Eles dizem que o jogador está certo, com 90% de chances de acertar, só faltando a liberação do clube. Como assim? É como você fosse comprar um suco e só faltasse pagar!

Entendo que nesta época do ano é um disse e me disse absurdo e que não há matérias, mas isso não é certo. Já vimos Ronaldinho Gaúcho no Palmeiras, Grêmio e Flamengo. Adriano já saiu da Itália. Jobson acertou com o Atlético-MG.

Muito se fala, mas de fato, só o Atlético-MG se reforço. e muito bem diga-se de passagem.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Diego Cavalieri, a interrogação


Um dos jogadores mais cobiçados do mercado, Diego Cavalieri não me diz muito. ele é, ou já foi, a opção número um de Flamengo, Fluminense, Internacional e Santos. Tido como grande goleiro, aos 28 anos ainda não me convenceu e, no meu entender, não teve uma sequência para provar se é bom ou ruim.

Cavalieri estreiou em 2002 pelo Palmeiras. Foram 104 partidas em seis anos, uma média de 17 jogos por temporada. Ele só jogava quando marcos estava machucado. Mas sua ida para o Liverpool piorou ainda mais estes números. O clube inglês pagou 10 milhões de reais para ele atuar 10 vezes de 2008 a 2010. Ele foi contratado para ser reserva de Pepe Reina, mas o espanhol não se machuca.

Então, ele decidiu ir para o modesto Cesena. E, vez de se firmar, ele mais uma vez foi para o lugar em onde melhor conhece em um campo de futebol: o banco de reservas. Cavalieri não jogou nenhuma vez no time italiano e é reserva de Francesco Antonioli, no "auge" com seus 41 anos.

Será que vale investir uma grana em salários em um goleiro que é uma enorme interrogação? Eu não o faria.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Top 10 NBA


Se liguem no Top 10 da NBA! Simplesmente sensacional!

Leia mais

O papelão de Rafa Benítez


Os dias de Rafa Benítez na Internazionale estão contados. O treinador espanhol foi contratado no início da temporada para substituir o português José Mourinho, que se transferiu para o Real Madrid e não teve muito sucesso, diferentemente de seu antecessor. 


Benítez faz um trabalho medíocre na Inter de Milão. Com muitos desfalques durante a temporada, deixou o time na 7ª posição do campeonato italiano antes de embarcar nos Emirados Árabes para a conquista do Mundial. E exatamente quando parece ter quase todos os principais atletas do clube à disposição (Sneijder, o maestro do time, se machucou no início do primeiro jogo do Mundial), resolveu dar uma declaração polêmica. Afirmou que o time precisa de 3 ou 4 reforços, crê que pode ser responsabilizado pela fraca campanha no italiano, e deu a entender que pode deixar o clube. A conquista do Mundial foi extremamente fácil, dado a fragilidade dos adversários (com a eliminação do Internacional de Porto Alegre, a Inter de Milão só precisou vencer Seongnam, da Coreia do Sul e Mazembe, do Congo, para sagrar-se campeão) e não valorizou o trabalho do técnico espanhol, que dependia da conquista do título para se manter no cargo.


E equipe milanesa conta com jogadores muito interessantes como Eto’o, Milito, Zanetti, Stankovic e Cambiasso, além do craque Sneijder e dos brasileiros Júlio César, Maicon e Lúcio. Estes jogadores teriam vaga em praticamente todos os clubes do mundo. A Inter conta também com jovens apostas, como Philippe Coutinho, Biabiany e Santon (único italiano a jogar o Mundial, ainda que por apenas 11 minutos). Conquistou tudo o que poderia ser ganho com Mourinho, mas parece não engrenar nas mãos do espanhol, que resolveu criar polêmicas para tentar apagar o seu mau trabalho na Itália. Do pior modo possível, pois nunca antes tinha visto um técnico ofuscar um grande título para tentar mascarar um trabalho mal feito.


Renato Stafford

Leia mais

A piada do Mundial


Uma das coisas mais ridículas do Mundial de Clubes foi a premiação de Andrés D'Alessandro como terceiro melhor jogador do torneio. A participação do meia do Internacional foi ridícula. Ele foi o pior em campo no jogo contra o Mazembe e, apesar de ter marcado um gol contra o Seongnam, não faz uma partida brilhante.

Baseado em quê a Fifa dá o prêmio de terceiro melhor jogador de uma competição a um jogador que sumiu quando o time mais precisava dele e que amargou o maior vexame do futebol internacional.

Ah, deve ser a mesma Fifa que deu o prêmio de melhor jogador da Copa de 2006 ao goleiro Kahn, qeu falhou na final contra o Brasil.

Aff...

***********************

Em tempo, Samuel Eto'o, do Internazionale  venceu o melhor jogador e Kaluyituka, do Mazembe foi o segundo.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Zebra passou longe: Internazionale 3 a 0


No sábado, o Internazionale não deu  a menor chance para o mazembe e sapecou 3 a 0. A vitória do time de Milão só aumenta o vexame dado pelo Internacional, já que os italianos mostraram como o time africano não tinha nada demais.

Samuel Eto'o foi o dono da partida com passes, finalizações e uma categoria que mostra que ele deveria estar mais bem cotado na disputa do melhor do Mundo. Como joga o camaronês.

Outra coisa que chamou a atenção foi que a temível marcação do mazembe não funcionou com o Inter de Milão. Toques rápidos deixaram os africanos loucos e mostraram que a soberba do Internacional fez com que o time gaúcho não chegasse à final.

Rodrigo Stafford

Leia mais

O novo camisa 1 do Fla


Enfim, o Flamengo anunciou sua primeira contratação para a próxima temporada. Trata-se de Felipe, goleiro do Braga de Portugal, que ficou conhecido nacionalmente ao defender o Corinthians.

Não há comparação entre ele e o atual titular da meta rubro-negra. Marcelo Lomba é tecnicamente e psicologicamente muito inferior a Felipe que, embora não tenha poucas falhas na carreira, faz defesas dificílimas com certa frequência, conquistando rapidamente o torcedor.

Entretanto, o que chama a atenção da imprensa é o comportamento extra-campo de Felipe. Seguidas vezes, foram noticiados tais problemas em sua passagem pelo Corinthians. O presidente do clube paulista chegou a dar entrevista dizendo-se aliviado com a saída do goleiro, pois certamente haveria menos problemas no clube. Não custa lembrar que o último grande goleiro a defender o Flamengo foi Bruno, atualmente preso acusado de assassinato.

Acho uma boa contratação. O Flamengo precisa de um bom goleiro e Felipe quer ser titular de um time que lhe dê projeção. Não acho que o comportamento fora das quatro linhas seja um grande problema. E não se deve comparar o caso Bruno a qualquer jogador de futebol, tendo em vista que esta situação é o extremo do extremo e dificilmente ocorrerá novamente no futebol profissional nos próximos anos. 

O que chama a atenção é o fato da diretoria rubro-negra não adotar o mesmo critério ao se manifestar sobre a possibilidade de contratar o Imperador Adriano. Uma pena para a torcida do Mengão, que conta com Val Baiano, Deivid, Diogo e Diego Maurício no ataque para 2011.

Renato Stafford

Leia mais

Gol contra com estilo

O zagueiro egípcio mostra categoria ao marcar um gol contra. O adversário era a seleção do Catar.






Leia mais

Até quando, Robinho?


Ele tem marcado gols, vem brindando a torcida com atuações convincentes, forma uma dupla de ataque infernal com Ibrahimovic e em pouco mais de três meses colocou Ronaldinho no banco. Robinho, contratado pelo Milan em agosto, vive um bom início em sua trajetória no clube rubro-negro, que lidera a Serie A italiana e se classificou para a segunda fase da Liga dos Campeões da Europa com uma rodada de antecedência. Mas nem a boa fase é capaz de afastar a desconfiança que paira sobre o jogador, e não é difícil entender o porquê.

Durante seus quase 10 anos de carreira até aqui, Robinho viveu de altos e baixos. Despontou (justamente) como menino prodígio em uma jovem equipe do Santos que, contra todos os prognósticos, venceu o Brasileiro em 2002. Após o bi (ou melhor, segundo a CBF agora será octa) em 2004, decidiu que a Vila Belmiro era muito pequena para ele. Após longa novela, forçou a barra, ignorou o “amor à camisa” e conseguiu liberação para se transferir ao galático Real Madrid em 2005.

Numa equipe recheada de craques, começou no banco e, aos poucos, conquistou seu espaço, dando a impressão de que ratificaria em campos europeus a fama de craque adquirida no Brasil. No entanto, jamais se tornou titular absoluto, e em 2008, encostado no banco de reservas, decidiu que precisava sair de Madrid para se tornar o melhor do mundo. Após mais uma novela, forçou a barra, ignorou o “profissionalismo” e conseguiu transferir-se para o milionário Manchester City.

Em uma equipe carente de talentos individuais, esperava-se que Robinho fosse a estrela maior. Após um início animador, foi perdendo espaço à medida que novos reforços eram contratados. Logo em sua segunda temporada, foi relegado à condição de reserva em diversos jogos, tornou-se apenas mais um jogador do elenco e deixou de ser o grande ídolo da torcida. Decidiu, então, que precisava voltar para casa a fim de garantir sua vaga na Copa da África. Em janeiro de 2010, forçou a barra, ignorou a “ambição de ser o melhor do mundo” e conseguiu ser emprestado ao Santos.

Ídolo da torcida e alçado ao posto de capitão, o ex-menino da Vila juntou-se aos novos meninos da Vila. Apesar das boas atuações e dos títulos paulista e da Copa do Brasil, não fez o que dele se esperava, tornando-se coadjuvante das sensações Ganso e Neymar. Após o fiasco da Copa do Mundo, demonstrou seu desinteresse em voltar a Manchester. Decidiu que precisava voltar a um grande clube europeu. Em agosto de 2010, foi vendido ao Milan por menos da metade do valor pelo qual havia sido comprado junto ao Real Madrid.

Tal desvalorização é o reflexo dos altos e baixos de sua carreira, e da desconfiança que desperta no mundo do futebol. O ex-menino prodígio ainda precisa provar que é craque, e demonstrar que é capaz de jogar bem por temporadas seguidas consistentemente, sem se envolver em polêmicas e mal conduzidas transferências. Enquanto tudo isso não acontecer, a cada boa fase de Robinho, persistirá a dúvida: até quando?


Pedro Henrique de Mendonça
Leia mais

Corrida com barreiras

Corredor chinês arrebnta na corrida com barreiras.

Leia mais

Drible maneiro

Um belo brible. O filho do ex-jogador Paul Ince deixa o adversário no chão antes de cruzar e o zagueirão meter contra. Vale a pena ver.

Leia mais

Sorteio da Liga dos Campeões: considerações

Hoje pela manhã foi sorteado os jogos das oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa. Bons jogos nos aguardam principalmente Inter x Bayern, Arsenal x Barcelona e Milan X Tottenham. Abaixo minhas impressões.

Roma x Shakhtar Donetsk
Confronto fraco. Os romanos passam no sufoico, mas não devem ir longe.

Milan x Tottenham Hotspur
Não acredito no Milan. Com a boa fase de Bale e Van der Vaart, aposto nos ingleses nas quartas de final.

Valencia x Schalke 04
Outro jogo ruim. Valencia está em melhor fase, mas também cai nas quartas.

Internazionale x Bayern Munique
Foi a final da última Liga dos Campeões. Os dois times não vivem bom momento, mas aposto nas estrelas de Eto'o e Sneijder.


Lyon x Real Madrid
Os franceses adoram eliminar os espanhóis, mas desta vez eu acredito no time de Mourinho. Madrid segue.

Olympique Marseille x Manchester United
Rooney sozinho garantiria os Diabos Vermelhos nas quartas de final. E tem companheiros como Nani, Berbatov e outros.

Kobenhavn x Chelsea
Os Azuais se classificam até se não entrarem em campo. Só é preciso as camisas.

Arsenal x Barcelona
O Barcelona é o melhor time do mundo e os ingleses são muito inconstantes. Barça passa sem problemas.

Rodrigo Stafford
Leia mais

Joel ficar é ótimo para o Botafogo


Muitos amigos botafoguenses me disseram não saber se era uma boa Joel Santana rnovar com o Glorioso para 2011. Defendo o treinador de todas as maneiras possíveis. Ele fez um ótimo trabalho neste ano e uma pergunta para os alvinegros. Há algum técnico melhor no mercado?

Joel Santana assumiu o clube logo após a derrota por 6 a 0 contra o Vasco no Engenhão. O treinador era Estevam Soares, este sim, muito aquém das tradições do Alvinegro. Com seu jeito maroto, Natalino conquistou o grupo, rsgatou o orgulho botafoguense e no melhor estilo inglês arrumou uma maneira de a equipe jogar. Levou os dois turnos do Estadual com uma equipe inferior técnicamente a Fluminense e Flamengo.

No Brasileirão, perdeu jogadores com que contava como Maicosuel, Fábio Ferreira, Herrera e Marcelo Mattos (por um período importante) e descobriu que o time não tinha elenco. Foi obrigado a recorrer a Lucio Flavio e Fahel. Ainda teve o problema das noitadas de Jobson, que desestabilizou o Fogão.

A entrada de Joel ainda trouxe um resgate ao clube: as divisões de base. O treinador olhou para a base e subiu o jovem e promissor goleiro Milton Raphael, descobriu o eficiente Marcio rosário, o promissor Lucas Zen e o veloz Alex.

Por isso que eu digo. É um golaço renovar com Joel Santana. Mais um do presidente Mauricio Assumpção, este sim, sem dúvida, o melhor do Rio.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Mercado de transferências cruel para o Rio



Fim de temporada, os clubes se movimentam para trazer novos reforços para a próxima temporada. Entretanto, os nomes até agora não empolgam.

No Botafogo, até agora as únicas certezas são as saídas de Edno, que retorna para o Corinthians, e Lúcio Flávio, que vai jogar no futebol mexicano. Para alguns, a saída de Lúcio Flávio é o grande reforço do time até agora.

O atual campeão brasileiro contratou nomes sem grande expressão como o meia Leandro Teixeira, do Duque de Caxias, e os atacantes Bruno Veiga e Adriano, que atuavam por Náutico e Bahia, respectivamente. São apostas, desconhecidas e baratas. Caso não vinguem, o prejuízo financeiro não seria grande.

No Flamengo, a situação parece crítica. O clube não renovou o contrato do volante Toró, que acertou com o Atlético-MG e do lateral Juan, que interessa a outros times, como o próprio Atlético, Botafogo e São Paulo. E, ao que parece, não se movimenta muito para contratar jogadores. Até o presente momento, o único reforço é a volta de Egídio, lateral esquerdo rebaixado com o Vitória.


O time do Rio que mais se movimenta nesse final de ano em busca de reforços é o Vasco. Contratou o zagueiro Anderson Martins, rebaixado com o Vitória, e o centroavante grandalhão Marcel, que não é mal jogador, mas recentemente teve problemas disciplinares no Santos, quase saindo no tapa com Neymar. Há também a volta de jogadores do clube que estavam emprestados. São os casos de Rodrigo Pimpão (Paraná), Elder Granja (Atlético-PR) e Jefferson (Avaí). Destes, somente o último não foi mal na temporada passada. Há também o “reforço” da saída do meia Fumagalli, que jogará pelo Americana no ano que vem.


O Vasco saiu na frente dos rivais na busca de reforços para 2011. Mas não significa grandes coisas. Um zagueiro apenas regular e um atacante trombador não são grandes reforços. Isso só mostra que o mercado de transferências mostra-se no mínimo cruel para os torcedores dos clubes cariocas.

Renato Stafford

Leia mais

A culpa não é só de Roth


Como tudo no Brasil, o vexame histórico do Internacional foi para a conta do técnico Celso Roth. Na minha opinião injustamente. Não que o ache um ótimo profissional. Apenas razoável. Mas ele não pode ser o único responsabilizado pela derrota para o Mazembe. Verdade que ele mexeu mal, mas ele não perdeu gols como Alecsandro, não foi driblado como Guiñazu e , vamos dar o nome certo, não amarelou como D'Alessandro.

Não sei se a permanência de Roth é uma boa, mas em todas as redes sociais vejo que o técnico virou inimigo número um dos colorados. Vale lembrar, que se não fosse por Roth, dificilmente o Inter teria conquistado a Copa Libertadores. Ele chegou mudou o time e fez com que os jogadores sorrissem ao sair do amarrado esquema tático (4-5-1) formado pelo uruguaio Jorge Forsati.

Não dá para pedir que torcedor seja racional, mas Celso Roth não é o culpado pelo vexame do Inter. Pelo menos não o único ou o principal.

Rodrigo Stafford 

Leia mais

O vexame dos vexames


Nenhuma vez na minha vida vi um clube brasileiro passar por um vexame tão grande em sua história. Isso que em meus 28 anos já vi Fla, Flu e Botafogo perderem final da Copa do Brasil para Santo André, Paulista e Juventude. Já vi o Palmeiras sair do primeiro tempo vencendo por 3 a 0 e perder por 4 a 3 para o Vasco na Mercosul, até o Manchester United virar um jogo contra o Bayern de Munique, na final da Liga dos Campeões com dois gols nos acréscimos, entre outras coisas. Mas o Internacional perder por 2 a 0 para o Mazembe ganha de todas elas.

Soberba é um problema enorme no futebol. Como diz Muricy Ramalho, a bola pune. E o festival de gols perdidos, a ineficiência de D'Alessandro e Alecsandro somados com o tesão e a vontade de ganhar do time africano provocou um dos maiores vexames da história do futebol, resultando na primeira vez que um time sul-americano fica fora de uma decisão de Mundial Interclubes.

Não cabe ao Internacional procurar culpados. Todos o são. O que será preciso é juntar os cacos e reformular. O que acontecu não pode passar impune. Ainda mais porque o Colorado tem um dos melhores, se não o melhor elenco do país, com jogadores que teriam vaga em todos os times da Série A, como Rafael Sóbis, Tinga, D'Alesandro, Guiñazu entre outros.

Por ora, a parte vermelha do Rio Grande do Sul está fechada para balanço.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Farra dos títulos


A CBF reconheceu os títulos brasileiros entre 1959 e 1970. Justo? Em termos. Acho sensato a Confederação reconhecer alguns destes títulos, mas ao mesmo tempo criou uma grande confusão.  

Em 1967 e 68 o Brasileirão têm dois vencedores. Nestes dois anos, eu creio que o mais justo era que o vencedor da Taça Roberto Gomes Pedrosa (Palmeiras e Santos) fossem declarados campeões.  Em 67, o Palmeiras venceu a Taça Brasil (similar a Copa do Brasil) e em 68, o Botafogo. Com a decisão da CBF, o Palmeiras conseguiu dois títulos no mesmo ano. Sinceramente, eu deixaria tudo como está. Campeões da Taça Brasil seriam campeões desta, assim como os campeões do Robertão.

Mas não acho que o reconhecimento dos títulos é injusto, mas é preciso critério. Ver quais competições eram semelhantes a quais.  Da maneira que está é uma farra de títulos. Agora falta a CBF acabar com a bobagem de 1987 e reconhecer Flamengo e Sport como campeões brasileiros. 

Se é para fazer, faça direito senhor Ricardo Teixeira.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Profissionalismo para que?


Futebol profissional. Definitivamente isto não existe no Brasil. Lógico que durante as férias dos jogadores eles podem fazer o que quiser, já que não  há cláusulas no contrato que definam o que é um risco para   os clubes. Mas o bom senso passa longe.

Resolvi escrever este post por causa de um jogador: Carlos Alberto. Ele participou de 22 jogos dos 69 que o Vasco fez na temporada. Um número ridículo. Na última rodada não jogou com problemas particulares. É sabido que o meia não gosta do técnico PC Gusmão desde que trabalharam juntos no Fluminense.

Agora, acabada a temporada Carlos Alberto é figurinha fácil nas peladas dos jogadores. Ele deveria se resguardar para que não tivesse tantas lesões durante o ano, como aconteceu em 2010. A presença dele nestes jogos beneficentes é um desrespeito ao Clube de Regatas Vasco da Gama.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Os 8 mais bem pagos


É sempre legal aquelas listas dos mais e menos. Hoje, descobri uma dos jogadores mais bem pagos do mundo. Enquanto messi sobra dentro de campo, Cristiano Ronaldo arrebenta fora dele. Veja os 8 mais.


1. Cristiano Ronaldo (Real Madrid) - 13 milhões de euros


2. Lionel Messi (Barcelona) - 10,5 milhões de euros












3. Samuel Eto'o (Internazionale) - 10,5 milhões de euros









4. Kaká (Real Madrid) - 10 milhões de euros










5. Emmanuel Adebayor (Manchester City) - 8,5 milhões de euros










6. Karin Benzema (Real Madrid) - 8,5 milhões de euros












7. Carlos Tevez (Manchester City) - 8 milhões de euros













8. John Terry (Chelsea) - 7,5 milhões de euros

Leia mais

A birra de Tevez


Não é de hoje que Carlito Tevez está arrumando motivos para sair do Manchester City. Já foi briga com companheiro, com o treinador Roberto Mancini e, agora, ele teria pedido um aumento da diretoria no meio da temporada e a resposta veio pelo site oficial do clube dizendo que ele era um dos mais bem pagos do plantel e que não costuma negociar contratos em andamento no meio da temporada. resposta brilhante e correta.

Não na cabeça de Tevez. Ele sente falta de títulos. tem gana de vencedor. Mas deveria ter pensado nisso antes de assinar contrato com o City. Provavelmente será um time vencedor, mas não agora. A desculpa de Tevez é essa:

- É lamentável termos chegado a este ponto. Mas é algo que sinto há algum tempo, algo em que passo muitas horas pensando. Eu queria ter saído no verão, mas o clube me convenceu a ficar. Infelizmente, meus sentimentos não mudaram – desabafou o atacante, que é o oitavo mais bem pago do mundo. Ele recebe cerca de 8 milhçoes de euros por ano.

Que Tevez seja profissional, assim como o City é.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Imperador vale a pena?


Muito se fala na volta de Adriano ao futebol brasileiro. Acho difícil isso acontecer, pois o Roma não vai liberar o jogador tão facilmente. Mas caso isso aconteça é bom ter um jogador como o Imperador, com todos os seus bônus e ônus? Para mim, depende.

Para o Corinthians não vale. É um investimento alto (mais de 400 mil reais por mês) para um jogador problemático, que luta contra a balança e que não é obediente às regras. O Timão tem uma equipe já formada e que já tem um centroavante (Ronaldo). A dupla pode dar certo, mas não é a ideal.

Para times como Palmeiras e Flamengo, Adriano é uma ótima contratação. Os dois times são fracos e Adriano sabe fazer gols como poucos atacantes do mundo. Seus problemas não são nada perto do que este reforço significará de melhora aos times. No caso do Flamengo, ainda há uma identificação da torcida com o Imperador, por ele ter começado na Gávea.

Resumindo, Adriano é uma ótima opção. Se o time que o contratar não estiver bem.


Rodrigo Stafford
Leia mais

Natal tricolor


Definitivamente, este ano papai noel é tricolor e tem um novo nome: Celso Barros. Empolgado com o título brasileiro, o presidente da Unimed quer abrir ainda mais os cofres para realizar seu grande sonho de vencer a Copa Libertadores da América.

Os reforços devem ser pontuais e quanto aos nomes que estão sendo especulados, o torcedor deve ficar empolgado. No gol, Diego Cavallieri é o que menos me empolga. Só jogava no Palmeiras quando Marcos estava machucado, o mesmo aconteceu no Liverpool com Pepe Reina. Foi para o modestíssimo Cesena, da Itália, e ficou mais uma vez no banco de reservas. Tem muita moral com a imprensa, mas tendo feito muito pouco.

Na zaga, Rodolfo, do Lokomotiv é ótima opção. é bom jogador e muito identificado com o Flu. para o meio-campo Richarlyson e Thiago Neves dispensam apresentações e seriam ótimas opções para Muricy.

Faltam nomes para o ataque. Adriano Michael Jackson, que volta de ótima temporada no Bahia, merece e deve ter uma chance. Mas ainda precisa de mais gente na parte da frente.   

Ajuda papai Celso Barros!


Rodrigo Stafford

Leia mais

Ruim com Juan, pior sem ele


Após o papelão no Brasileirão 2010, quando para beliscar a última vaga que ainda resta para a Sul-Americana, o Flamengo dependeu que o Goiás perdesse, nos pênaltis, o título do torneio continental contra o Independiente, da Argentina - os goianos ganharam o primeiro jogo, no Serra Dourada, por 2 a 0, e perderam, na Argentina, por 3 a 1 -, é hora de começar a caça às bruxas na Gávea. Com contrato terminando no fim do ano, o lateral-esquerdo Juan deve ser o segundo a deixar o clube, já que Toró saiu antes do fim do nacional.

Desde que chegou ao Rubro-Negro, em 2006, Juan vive uma relação de amor e ódio com a Nação. Logo em seu primeiro ano de clube, fez o gol que deu o título da Copa do Brasil ao Fla. Tirou o clube de uma fila de 16 anos - o Urubu havia sido campeão do torneio em 1990 -, e ainda, de quebra, deu mais um vice ao rival Vasco. A história do jogador na Gávea seguiu com o tri-Carioca (2007, 2008 e 2009) e a conquista do Brasileirão do ano passado.

No entanto, nem tudo foi festa. Com atuações irregulares e, às vezes, até displicentes, o lateral-esquerdo tirou a paciência da torcida. No ano passado, por exemplo, antes mesmo de se ausentar por conta de uma cirurgia no joelho direito, a Nação já pedia a entrada de Everton em seu lugar. Mas com a saída do jogador para o Tigres (MEX), Juan voltou a não ter um reserva digno.

Este é o principal fator que tem que ser notado: quem herdará a camisa 6 de Juan? O "habilidoso" Rodrigo Alvim? O torcedor mais apaixonado pode até estar pensando: "isso é fácil, é só contratar outro". Mas na realidade não é bem assim. Na segunda-feira, a festa dos melhores do Brasileirão premiou o veterano do Corinthians Roberto Carlos, aos 37 anos, como o melhor lateral-esquerdo do país. Será que isso não diz nada? Diz muito! Significa que, infelizmente, o Brasil não tem, há muito tempo, renovação na posição.

Por que não, então, "mandar para a vala" Alvim e tentar descobrir algum jogador que possa, pelo menos, fazer frente a Juan? Se o problema do Fla está só na lateral esquerda - e não está - que o clube se desfaça primeiro do reserva. Esse sim, não devia nem sequer passar de ônibus pela frente da Gávea. Porque os rubro-negros podem se preparar, se já está ruim com Juan, vai ficar muito pior sem ele.
Em tempo, se Juan fosse o problema, times como Atlético-MG, São Paulo e Botafogo não teriam interesse no jogador.


Rafael Marques








Leia mais

Cala a boca, Sanchez!

É impressionante como os presidentes de clubes do Brasil são despreparados para o cargo. Na segunda-feira, Andrés Sandrez, do Corinthians alfinetou o Fluminense na festa dos melhores do ano ao falar que seu time havia voltado da Série B na bola. 

Não deveria ter falado. Parecia recalque. E foi. Mas até aí passa. O problema foi depois. Ele falou que não iria se preocupar com os bambis, falando em relação aos torcedores tricolores. E isso é inadmissível.

Andrés Sanchez tem qualidades como investir no marketing, formar bons times e é um dirigente interessante. Mas não pode dar este tipo de declaração. É imbecil. Presidente tem de se portar como tal e não como torcedor.

Não é a primeira vez que isso acontece. Belluzo, do Palmeiras, Horcades, do Fluminense, Amorim, do Flamengo, Juvencio, do São Paulo e Kalil, do Atlético-MG são apenas alguns dos presidentes que são experts em falar bobagens.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Lomba não é substituto para Bruno





É um post polêmico, mas peço que leiam até o final antes de xingar ou bradar contra o blogueiro. O goleiro bruno, que está preso em Minas Gerais acusado de ter matado a ex-namorada Elisa Samúdio, faz muita falta ao Flamengo dentro de campo. Ressaltando: dentro de campo.

Seu substituto Marcelo Lomba fez boas partidas, mas em nenhum momento conseguiu mostrar a calma que um goleiro rubro-negro tem de ter. Falhou em alguns jogos e a pouca confiança que tinha foi para o espaço.

Bruno, dentro de campo, era exatamente o inverso. Transbordava confiança, quase beirando a soberba. Quem diz que goleiro não decide jogo, certamente não o viu com a camisa do Flamengo. Foram dois Estaduais ganhos por ele na disputa de pênaltis. Além disto, atuações sensacionais na reta final do Brasileirão quando, só para exemplificar, pegou dois pênaltis de ganso e o Flamengo venceu o Santos por 1 a 0.

Não tenho nada contra Lomba (e muito contra Bruno fora de campo) e até me emociona o amor e carinho que ele fala do Rubro-negro e da Nação, mas são goleiros de níveis diferentes. enquanto Bruno não poderia ficar fora de uma lista com os cinco melhores goleiros do país. Lomba é uma grande interrogação, uma aposta que não se sabe se terá retorno.

Mas Bruno achou que poderia tudo e jogou sua carreira por água abaixo ao possivelmente cometer um crime, para qual o futebol não o perdoará.
Rodrigo Stafford
Leia mais

O gosto ruim do sexto lugar


Após 38 partidas disputadas, somente, durante o Campeonato Brasileiro, algumas questões ficam no ar. É claro que após campanhas medíocres que o Botafogo fez depois de voltar da Série B, a maioria delas representando a fuga de um segundo rebaixamento, o resultado final deste ano não é ruim, muito pelo contrário. Em nenhum momento a equipe sofreu com o fantasma da Z -4, e por algumas rodadas o time foi cotado para levantar a taça. Mas então, por que os botafoguenses ficaram com um gostinho ruim?

A boa administração de Maurício Assumpção contribuiu muito para as boas atuações  deste ano. Os jogadores foram pagos em dia e houve uma mobilização para formar uma boa equipe dentro do orçamento. Mas a vitória do Fluminense mostra que não é só isso que faz um time campeão.

Peças de reposição são fundamentais em um campeonato longo como o Brasileiro. E os alvinegros sentiram na pele o que é não ter um banco quando quase metade do time foi parar no departamento médico.

Outro ponto é o profissionalismo. Uma administração responsável como esta do Glorioso tem o direito de cobrar de seus funcionários e não passar a mão na cabeça deles quando vê que algo não está correto, ou não se encaixa. As situações de Lucio Flavio, Fahel, Alessandro e Jobson são insustentáveis. Os três primeiros por suas deficiências técnicas já muito mostradas e o atacante pela total falta de respeito para com as pessoas que brigaram para ele voltar ao Alvinegro. Enquanto a maioria dos jogares se cuidavam para voltar o mais rápido o possível para ajudar o time, como Somália e Herrera, ele chegava atrasado aos treinos e não se doava nas partidas. Não chamou a responsabilidade para si.

O momento para a renovação é agora. Joel já recebeu a proposta de renovação. É saber qual será a posição do papai para então reformular essa equipe para que no ano que vem o Botafogo não seja, mais uma vez, vítima do quase.

Lidia Azevedo
Leia mais

Campeão com justiça


O Fluminense é o campeão brasileiro de 2010. E com muita justiça. Era o melhor time, foi o mais regular e, se não apresentou um futebol brilhante na reta final, fez o que os outros não fizeram: venceu.

O Tricolor tem um jeito de jogar que é a cara de seu treinador Muricy Ramalho. É pragmático e mesmo tendo quatros dos maiores jogadores do país - Deco, Conca, Emerson e Fred - fica longe de ser um time criativo e imprevisível. E com o toque de Muricy faz das jogadas aéres - paradas ou não - uma arma.

O Cruzeiro até jogou um futebol melhor durante o brasileiro, mas jamais teve a regularidade de um campeão. O Corinthians vivia sua Ronaldodependência e quando não tinha o roliço craque jogava nos contra-ataques um futebol que não merecia levantar o caneco. Dependeu muito dos potentes chutes de Bruno César.

Então parabéns a Muricy, aos tricolores e ao Rio de Janeiro, isso sem esquecer duas pessoas que fizeram isso tudo possível. Conca, que carregou, muitas vezes sozinho, o time nas costas e Celso Barros, presidente da Unimed, que gastou rios de dinheiro para ver seu time de coração campeão.

Rodrigo Stafford

Leia mais

Russia, a Copa de 2018


A favorita Russia conseguiu. Investindo U$ 3,8 bilhões (R$ 6,5 bilhões) em estádios, U$ 2,2 bilhões (R$ 3,8 bilhões) no futebol no país e U$ 11,5 bilhões (R$ 19,8 bilhões) em infraestrutura, a candidatura bancada por Roman Abramovic promete erguer nada menos que 13 estádios.

"Prometo que nunca vão se arrepender pela escolha, vamos fazer história juntos" afirmou o vice-primeiro-ministro da Rússia, Igor Shuvalov.

Acho que será uma Copa do Mundo interessante, em um lugar de cultura completamente diferente e distâncias inimagináveis.




















Leia mais

Qatar, a Copa do Mundo de 2022


E a Copa de 2022 foi para o Qatar. Um projeto ousadíssimo de estádios lindos conquistou a Fifa e vai levar pela primeira vez o maior torneio do mundo no Oriente Médio. A candidatura bateu Austrália, que também concorria pela primeira vez, Estados Unidos, Japão e Coréia do Sul. Os três últimos países já haviam recebido o Mundial anteriormente. Os árabes utilizaram como embaixadores os ex-jogadores Zinedine Zidane, Ronald de Boer, Pep Guardiola e Roger Milla.

Os pontos contra também são muito fortes. O calor, que facilmente atinge os 45 graus, é tenebroso, ainda mais porque os jogadores estrão em fim de temporada. Outra coisa é o custo de vida no país. Caríssimo. Para completar, é quase um fato que os belíssimos estádios virarão elefantes brancos.

"É o esporte que movimenta milhões de pessoas, a emoção das pessoas e traz esperança para a população, principalmente para os jovens. É uma pena que apenas um país pode ser escolhido. O futebol não é uma questão de apenas vencer, mas é uma escola da vida. É preciso saber perder" afirmou o presidente da Fifa, Joseph Blatter.

















Leia mais